4 dicas para desenvolver a fluência em inglês

Nathalia

19 de julho de 2019 | 12h13

A importância do domínio do inglês já foi abordada várias vezes aqui no blog, afinal de contas, essa é atualmente uma das línguas mais faladas ao redor do mundo, eleita a oficial dos negócios e usada para unir pessoas de diferentes nacionalidades. Sendo assim, decidir estudar o idioma é um grande passo para a vida acadêmica ou profissional de qualquer pessoa.

Mas, para que os objetivos individuais sejam alcançados, a fluência é uma peça muito importante em todo o quebra-cabeça que é o aprendizado do idioma. E chegar ao nível desejado de proficiência nem sempre é uma tarefa rápida e simples, mas algumas dicas podem ajudar a trilhar o caminho:

  1. Escute com mais atenção

Sempre que ouvimos alguém falar em inglês nos concentramos em entender o que estão querendo dizer, o conjunto final da frase. Obviamente isso é importante para que haja uma boa comunicação, mas é possível aprender muito mais ao escutar os diálogos na língua.

Tente ir além e não prestar atenção apenas no significado das palavras como também na pronuncia delas. Fique atento aos sons, capte o ritmo da fala e a forma como as palavras se combinam e se completam. Perceba que algumas delas são pronunciadas mais juntas, como se fossem uma só, ou que a entonação de outras pode mudar dependendo da situação. Tente se lembrar desses detalhes na próxima vez que conversar com alguém e coloque essas lições em prática.

  1. Pratique também nas horas de lazer

Todo mundo tem aquele “comfortable movie” que assiste frequentemente e já decorou todas as falas, sabendo-as como brincamos “de trás para frente”. Por que então não mudar o idioma? Uma boa dica é colocar o áudio em inglês e sem legendas, ou colocá-las também em inglês para tentar entender o que se passa na cena e no diálogo dos personagens.

Como você já está familiarizado com a história, será mais fácil compreender o contexto e o enredo, mas com o tempo você pode aumentar o nível de dificuldade e partir para coisas novas. Tudo isso servirá de repertório para as situações da vida real.

Apesar de parecer repetitivo, essa é uma dica que poucas pessoas levam a sério. E, como consequência, deixam de aproveitar um aprendizado rico que os livros não conseguem promover sozinhos.

  1. Não tenha medo de errar

A frase é clichê, mas é verdadeira e se encaixa perfeitamente nessa situação: errar é humano e não é por isso que você vai desistir de aprender inglês! Pode parecer difícil lembrar-se de todas as regras gramaticais e de todo vocabulário para formar uma frase, mas isso não pode te impedir de falar.

Mesmo que saiba que está cometendo algum erro de pronuncia ou entonação, por exemplo, continue falando e se esforce ao máximo. Na maioria das vezes o feito é melhor do que o perfeito e as pessoas entenderão a mensagem que você quer passar, mesmo que em construções menos ricas gramaticalmente. Além disso, lembre-se de não se apressar e fazer as coisas no seu tempo. Resultados demorados são sempre bem melhores que nenhum resultado.

  1. Se estiver ao seu alcance, faça um intercâmbio

A oportunidade de fazer um intercâmbio, não importa qual a sua idade, pode abrir inúmeras portas no futuro. Além disso, expande sua mente para coisas novas, já que você passa a conhecer novos lugares, pessoas de outras nacionalidades e, a partir daí, surge a necessidade latente de comunicação em outro idioma, geralmente o inglês.

O fato de estar em um ambiente diferente e que não fala sua língua materna te obriga a se comunicar de alguma maneira e isso trabalha a favor de diminuir a vergonha e estimula uma maior naturalidade. Essa é uma experiência que vai apenas acrescentar, tanto no currículo quanto na vivência pessoal.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.