Ministro da Educação diz que primeiro ano na USP foi “um inferno”

Ministro da Educação diz que primeiro ano na USP foi “um inferno”

Renata Cafardo

03 de maio de 2019 | 17h40

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, confirmou em um vídeo na sua conta no Twitter que é mesmo dele o boletim que circulava nas redes sociais com suas notas quando era aluno na Universidade de São Paulo (USP). “Não é fake news”, diz Weintraub. O documento mostra várias notas zero para o aluno, em disciplinas como Introdução à Economia, História Econômica Geral e Introdução à Sociologia.

No vídeo, em que aparenta estar emocionado, o ministro conta que o boletim se refere ao seu primeiro ano de faculdade na USP. “Foi um inferno”, afirma. “Meus pais se separaram, teve o Plano Collor, minha família desmanchou, eu tive depressão e eu sofri um acidente horroroso que eu tive que colocar um parafuso no braço. Fiquei seis meses sem poder escrever e só teve um professor que me deixou fazer prova oral”. Nesse momento, Weintraub desabotoa a camisa e mostra uma cicatriz “de 15 centímetros”.

FOTO: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

Questionada, a USP não havia confirmado que se tratava efetivamente do boletim do ministro porque a informação é confidencial. Weintraub cursou Ciências Econômicas na Faculdade de Economia e Administração (FEA) entre 1989 e 1994.

A USP também diz não saber como o histórico escolar foi acessado já que o sistema é fechado. O boletim foi postado no Twitter pelo cientista político e escritor Alberto Carlos Almeida, que comentou que Weintraub era “bom de balbúrdia”, numa referência à entrevista dada pelo ministro ao Estado em que avisou que cortaria verbas de universidades federais.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: