MUSEU SEM CHATICE

Colégio Stockler

24 Julho 2018 | 08h55

3 estratégias para tornar os programas culturais com os filhos ainda mais divertidos

 

As férias já estão chegando ao fim mas ainda dá tempo para curtir algumas das diversas opções de passeio cultural em cartaz pela cidade. Para quem nunca arriscou uma visita aos espaços expositivos de São Paulo com receio de que o passeio não agradasse a criançada, nossa equipe indica três estratégias para garantir um contato mais rico e prazeroso com a Arte.

 

1. Incentive seu filho a fazer arte no museu

Nada de ficar tirando selfies ou registrando a visita pelo celular! Para tornar o contato com a arte mais rico para as crianças, a dica é levar um bloco de desenho, estojo, e incentivar a meninada a produzir algo em resposta ao que estão observando. Não se trata de ‘imitar’ ou ‘copiar’ as obras mas de criar, livremente, a partir das emoções e impressões causadas pela visita.

 

2. Vá além do “bonito” ou “feio”

Ao emitir – ou solicitar da criança que ela emita – juízos muito fechados sobre uma obra de arte, o adulto acaba por limitar muito a experiência do jovem visitante. Para não cair nesta armadilha, deixe de lado os julgamentos e exercite um olhar mais curioso. Um bom ponto de partida são os materiais usados pelo artista para compor aquela obra. Por que será que os escolheu? Como fez para juntar esses elementos? Que sensações eles provocam? No que essa obra nos faz pensar (músicas, filmes, experiências, conversas)? O mais importante é deixar claro para a criança que não há respostas certas ou erradas.

 

3. Invente uma história

Convidar a criança a criar uma história a partir da cena ou do objeto que está observando é uma ótima maneira de disparar a curiosidade e de levá-la, de forma lúdica, a interpretar o que está vendo. Você pode, se quiser, registrar essas narrativas. Mais tarde, ao revisitá-las, você resgatará a experiência da visitação.