ESTUDE MELHOR | Ano novo, vida nova

Colégio Stockler

11 de fevereiro de 2020 | 10h11

Cinco dicas para ajudar seu filho a se adaptar à nova rotina escolar

 

Com a volta às aulas, tem início também um novo ciclo escolar para as famílias. Algumas são recém-chegadas. Outras, velhas conhecidas. Mas, em comum, todas têm diante de si o desafio de se adaptar – em maior ou menor grau – ao desconhecido.

Não raro, isso gera uma série de expectativas e uma pitada de ansiedade ou até de medo. Saber reconhecer essas sensações e lidar com elas é a chave para ajudar os filhos a passar por esse período de forma mais tranquila, saudável e resultando em aprendizados para a vida.

Confira as cinco dúvidas que mais assombram os pais neste começo de ano, bem como dicas da diretora pedagógica do Colégio Stockler, Josely Magri, e da orientadora educacional Alessandra Bronze para ajudar os filhos na adaptação à rotina escolar.

 

1. Meu filho conseguirá se enturmar e fazer novas amizades?

A aceitação do grupo está entre as principais inseguranças dos pais, especialmente daqueles que tem filho no Fundamental II. “No Ensino Médio, essa preocupação vai diminuindo devido ao amadurecimento dos adolescentes para relacionar-se entre si”, comenta Alessandra.

Dica: Incentive seu filho a buscar caminhos para a socialização. “Encoraje-o a se abrir para o novo, conversar e interagir com os colegas”, afirma a orientadora educacional do Stockler. Os resultados, porém, não necessariamente serão imediatos. “Se o primeiro dia de aula não saiu como o esperado, não há por que se desesperar”, alerta Josely. A adaptação é um processo gradual e próprio de cada aluno.

 

2. Meu filho vai dar conta do recado?

As expectativas em torno do desempenho escolar do filho provocam ansiedade não só nos pais como no próprio aluno. A situação tende a ser ainda mais crítica quando se trata de um estudante que repetiu de ano. De um lado, a família teme pela discriminação. De outro, pela eficiência nos estudos. “Com tanto peso nas costas, fica mais difícil recomeçar”, garante Josely.

Dica: Saber lidar com as perdas e se reinventar são vivências que se aprendem dentro de casa. “Compartilhar com o filho nossos sucessos e também as falhas serve como exemplo de vida e lição de resiliência”, diz a diretora pedagógica do Stockler. Ela ainda recomenda transmitir a segurança de que a retenção é uma oportunidade para se refazer algo que realmente era necessário para construir conhecimento.

 

3. Como devo lidar com os medos e ansiedades do meu filho na adaptação escolar?

Nem sempre, as famílias conhecerão todos os fantasmas que passam pela cabeça de crianças e adolescentes. Muitos sequer desejam falar sobre isso, temendo a falta de paciência dos pais ou a diminuição da importância dada àquilo que lhe tira o sono.

Dica: Nunca minimize o que é real aos olhos do filho. Em vez disso, desenvolva a paciência e a escuta e se faça presente. “Acolha, ouça, não subestime e o ajude a buscar soluções”, sugere Alessandra. Outra dica é não o sobrecarregar com uma caça às bruxas, em busca de supostos medos e ansiedades que pairam sobre ele. “Afinal, nem sempre precisa ter alguma coisa errada na vida do aluno”, ressalta Josely.

 

4. Como irei me comunicar com a escola?

A possibilidade de não ter notícias do filho, não contar com o apoio da escola ou não ter como informar qualquer problema é uma das principais causas de ansiedade entre os pais. “É totalmente compreensível para quem enfrenta o desconhecido, como é o caso das famílias de novos alunos”, reconhece Josely. No entanto, ela chama a atenção para o risco de transferir essa insegurança para o filho.

Dica: O quanto antes, procure se informar sobre os canais de comunicação que a escola disponibiliza – e-mail, telefone, agenda, portal do aluno, reunião de pais, entre outros – e quem será seu ponto focal de comunicação. “A sensação de segurança está diretamente ligada à parceria que a família trava com o colégio – e vice-versa. Uma vez comprada a ideia e assimilada a proposta pedagógica, o próximo passo é confiar”, explica Alessandra, orientadora educacional do Stockler.

 

5. O calendário escolar bate de frente com os planos da família. E agora?

Se você sonha em tirar férias com a família e a viagem coincide com a semana de provas, é hora de rever as prioridades traçadas para o seu filho. “Ele é protagonista do próprio aprendizado e precisa ser respeitado como tal”, afirma Alessandra. Ela ainda lembra que, à medida que o aluno avança rumo ao Ensino Médio, aumentam também a gama de disciplinas e responsabilidades, as entregas de trabalho, a reunião de grupos de estudo e as monitorias.

Dica: No início do ano letivo, liste todas as atividades previstas no calendário escolar e incorpore-as à grade de programação da família. “É dever dos pais valorizar os compromissos estudantis do filho”, alerta Josely.

 

 

Colégio Stockler na Rede

        

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: