Colégio São Luís promove webinar com sobreviventes da bomba de Hiroshima

Colégio São Luís promove webinar com sobreviventes da bomba de Hiroshima

Colégio São Luís Jesuítas

03 de dezembro de 2020 | 11h53

Os depoimentos de Morita, Watanabe e Bonkohara emocionaram a comunidade educativa

“Eu, Takashi Morita, fui vítima da bomba atômica em Hiroshima, aos 21 anos. O meu desejo agora é que o mundo continue em paz, sem guerra. Já se passaram 75 anos, mas não consigo esquecer aquela tragédia”, afirmou Takashi Morita, 96 anos, durante o webinar promovido pelo Colégio São Luís, em outubro.

O senhor Takashi Morita, a senhora Junko Watanabe (77 anos) e o senhor Kunihiko Bonkohara (80 anos), que participaram do encontro virtual são sobreviventes da bomba atômica lançada sobre a cidade japonesa de Hiroshima, em 1945. No webinar, eles compartilharam com a comunidade educativa os horrores daquele 6 de agosto e emocionaram a todos com seus relatos.

O Orientador Educacional dos 7.º e 8.º anos do Ensino Fundamental II, Renan Nascimento, abriu o encontro com uma canção sobre Hiroshima. Em seguida, os professores do 7.º ano do Ensino Fundamental II Antônio de Pádua, Luiz Silva e Daniela Rojas explicaram o processo histórico que antecedeu o lançamento da bomba, as questões geopolíticas da época e as consequências socioambientais do episódio que matou cerca de 140 mil pessoas.

O professor Luiz explicou que o lançamento da bomba atômica encerrou os conflitos entre os Estados Unidos e o Japão na 2.ª Guerra Mundial: “esses conflitos começaram quando os japoneses atacaram a base de Pearl Harbor, no Havaí, em 7 de dezembro de 1941. Depois desse ataque, temos a famosa Batalha de Midway, cujos confrontos se prologam ao Pacífico até o lançamento da bomba”.

Dias após o ataque à cidade de Hiroshima, Nagasaki também foi alvo de outra explosão nuclear que dizimou milhares de vida e que deixou um cenário de destruição. As memórias desses episódios são muito dolorosas para Morita, Watanabe e Bonkohara. “As lembranças são de muitas pessoas sofrendo, aqueles estudantes inocentes morrendo, juntamente com o gemido e a dor daqueles dias. Eu não consigo tirar da minha mente mesmo agora, depois de 75 anos. Em uma guerra quem sofre mais é a população em geral […]. Eu espero que essas ameaças nucleares sejam tiradas enquanto eu ainda estiver vivo”, disse o senhor Morita.

Desde 2016, Morita, Watanabe e Bonkohara participam do projeto Sobreviventes pela Paz, no qual encenam a peça Os Três Sobreviventes de Hiroshima, que tem roteiro e direção de Rogério Nagai. No teatro, eles narram como sobreviveram mesmo estando próximos ao local de explosão da bomba, em um relato de superação, força e luta pela vida.

Conhecer a história e refletir sobre os acontecimentos é fundamental para o processo educativo. A reflexão e a experiência são componentes da Pedagogia Inaciana e importantes para compreender o mundo e fazê-lo sempre um lugar melhor.

Clique aqui e assista à integra do webinar. 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.