Tecnologia e infância: há uma receita ideal?

Tecnologia e infância: há uma receita ideal?

Escola Santi

10 Novembro 2015 | 12h05

Uma orientação aos pais sobre a melhor forma de introduzir as tecnologias na rotina das crianças.

 

A partir de qual idade pode-se comprar um celular para o filho? O uso de tablet é recomendado com crianças pequenas? Como podemos orientar os nossos filhos na utilização dessas tecnologias?

É cada vez mais frequente na Educação Infantil que os pais busquem os coordenadores da escola para compartilhar essas e outras questões relacionadas ao uso de dispositivos tecnológicos como tablets, ipads, netbooks por crianças a partir dos 3, 4 anos de idade. Afinal devem ou não investir nessa aproximação? As dúvidas em geral estão relacionadas a como educar para o uso da internet, ou solicitações de dicas sobre jogos e aplicativos com conteúdos de qualidade para as crianças. Para enriquecer essa conversa e ampliar a reflexão dos pais sobre cuidados e consequências nessa tomada de decisão, a Escola Santi convidou a especialista em tecnologia aplicada à educação Adriana Matinelli e abriu a palestra à participação de todas as famílias do segmento da Educação Infantil.

IMG_4014

Adriana diz que, apesar de os pais enfrentarem uma busca diária atrás dessas repostas, não existem caminhos certos e únicos para elas. O mundo que nossos filhos vivem hoje é bem diferente do mundo em que vivemos a nossa infância. Saudosismo não cabe nessa hora, claro, afinal seria ignorar o mundo em que estamos vivendo, com todas as suas transformações. Hoje a sociedade está imersa na cultura digital e isso muda a forma como nos comunicamos, interagimos, aprendemos e nos colocamos no mundo. Nesse sentido, saber qual dispositivo e quanto tempo usar por dia não resolve muito o verdadeiro dilema.

A especialista em tecnologia também defende que é necessário levar a reflexão para além dessas questões. Temos que nos deter em outras perguntas e buscar respostas no conjunto de valores e princípios de cada família, como por exemplo: Por que meu filho deseja utilizar dispositivos digitais? O que eu acho que ele aprende com isso? Como posso me aproximar dele utilizando esses dispositivos? Qual o impacto que os dispositivos digitais podem ter na dinâmica da minha família? Onde pode beneficiar e onde pode atrapalhar? Um debate sobre como educar os filhos hoje nesse mundo conectado, sabendo que ele precisará ser um cidadão conectado para viver e intervir nesse mundo é um bom começo para as respostas emergirem.

IMG_4015

Para propiciar esse debate, foi realizado o 22º FormaSanti-pais, cujo tema foi “Quando é a hora de oferecer o tablet para meu filho? – uma reflexão sobre o uso de dispositivos tecnológicos na infância”, com Adriana Martinelli. O FormaSanti compreende todas as iniciativas da Santi relacionadas à formação – para a equipe ou para os pais – que reforçam a importância dada pela escola ao constante desenvolvimento da nossa comunidade. Para os pais, acontecem pelo menos 2 palestras por ano, realizadas por profissionais especialistas em temas relacionados à educação, com o intuito de promover a reflexão e a possibilidade de atuar cada vez com mais consciência na educação das crianças.

Antes do evento, nós conversamos um pouco com Adriana. Confira algumas das dicas que ela nos deu sobre o assunto nesse vídeo:

Adriana Martinelli é formada em Fonoaudiologia, pela PUC-SP com especialização em Psicopedagogia – Teoria e Prática e em Novas Tecnologias de Comunicação Aplicadas à Educação pela Escola do Futuro/USP. Foi coordenadora da Área de Educação e Tecnologia do Instituto Ayrton Senna de 1999 até início de 2013. Certificada em Life Coaching pela SLAC Sociedade Latino Americana de Coaching. Diretora da Agência de Inovação da Faculdade Singularidades, sócia-fundadora do LED – Laboratório de Experimentações Didáticas e empreendedora da MEIO – Novas Didáticas e Novos Negócios. www.meio.etc.br