Projeto incentiva crianças a reduzirem a produção de lixo na escola

Projeto incentiva crianças a reduzirem a produção de lixo na escola

Escola Santi

21 Agosto 2018 | 09h57

Uma vez por semana, a Escola Santi, em São Paulo, promove o dia do “Lanche Sem Descartáveis”, um dia em que os alunos deverão fazer suas lancheiras com a menor produção de lixo possível.

“Eu nunca trago lixo!”, exclama uma menina enquanto mostra, animada, sua lancheira. Os colegas ao seu redor também parecem ter tido o cuidado de preparar um lanche que não gerasse descarte e exibem lancheiras coloridas com potes, garrafas, talheres e até guardanapos reutilizáveis.

Esta cena passou a ser comum na Escola Santi, na zona sul de São Paulo, depois de uma iniciativa desenvolvida por alunos e professores. A campanha do “Lanche Sem Descartáveis” incentiva os estudantes a não apenas tentarem reduzir a quantidade de resíduos em seus lanches, como de fato eliminá-los.

Em maio, uma ação de conscientização mostrou a quantidade de lixo produzido apenas pelo consumo de sucos em caixinhas. O revestimento de um banco do pátio com as pequenas caixas e galões cheios de canudos ilustravam o tamanho do impacto de atitudes que parecem de pouco valor, como, por exemplo, a escolha da bebida que se leva diariamente para a escola.

Caso todas as crianças da Educação Infantil parassem de consumir sucos de caixinha, em um mês, teria se evitado que mais de 2 mil delas se tornassem lixo.

O grupo SantiSustentável, formado por integrantes da equipe que pensam a sustentabilidade dentro e fora da escola, propôs então que, uma vez por semana, os alunos levem um lanche que não requeira descarte: uma fruta na lancheira, um sanduíche guardado em um pote (ao invés de embalado) ou um cantil reutilizável para colocar o suco (para substituir as caixinhas). A partir de agosto, toda quarta-feira é dia de lanche sem recicláveis na Escola Santi.

Para a professora Cecília Diniz, uma das precursoras da iniciativa, “a ideia é que as famílias possam, em casa, junto com as crianças, pensar em como mandar o lanche no dia seguinte com a menor quantidade de descartáveis possível”. Assim, de modo gradual, o que aparece uma iniciativa pontual poderá se tornar hábito: “a gente está apostando nessa mudança”, afirma.

Garfo de metal, potes com torradas e manteiga, frutas protegidas e suco na garrafa: esses são apenas alguns exemplos do que os alunos da Santi têm trazido para o lanche.

O projeto é parte de uma série de iniciativas realizadas pela Santi. Em 2017, alunos visitaram a cooperativa que recebe os materiais recicláveis descartados na escola (Yougreen) para compreender a dimensão do processo e o destino daquilo que vai para o lixo reciclável. No mesmo ano, implantou-se o “aniversário sem descartáveis” – pratos, garfos e copos descartáveis em festas de aniversário realizadas na escola foram substituídos por utensílios duráveis. Antes disso, já haviam promovido uma série de ações de conscientização sobre a forma de descarte correta dos recicláveis e, hoje, contam com um “Lixo Dúvida”, onde crianças e adultos podem depositar aqueles resíduos sobre os quais não têm certeza sobre o descarte (e, depois, acompanham a resposta em painéis da escola).
Terminando de guardar seu talher de metal dentro da lancheira, Alice, de 7 anos, conta: “eu gosto de não trazer lixo porque a gente produz muito lixo e não polui a natureza. E é ela quem nos faz respirar”.

Aproveite para conferir nossas dicas de lanche sem descartáveis no site da Escola Santi.