O esporte como formador de cidadãos conscientes

O esporte como formador de cidadãos conscientes

Escola Santi

06 Junho 2016 | 17h59

Escola, que já ajudou a formar atletas de ponta no cenário esportivo nacional como o levantador da seleção brasileira de vôlei William Arjona, trabalha também com Jogos Colaborativos

 

A pouco mais de dois meses do início dos Jogos Olímpicos Rio 2016, os educadores da Escola Santi – localizada no bairro do Paraíso, em São Paulo -, estão aproveitando o “clima olímpico” para ressaltar ainda mais entre os alunos a importância do esporte não só no aspecto competitivo de alto rendimento, mas também na formação de cidadãos cooperativos.

Por meio de uma série de ações educativas, os professores de Educação Física da escola buscam despertar o conhecimento e interesse nos alunos por algumas modalidades esportivas e ao mesmo tempo proporcionar momentos de valorização de princípios como solidariedade e respeito.

Dentre os projetos que buscam estimular o conhecimento e a prática de modalidades olímpicas está o realizado por grupos de alunos do Ensino Fundamental II. Eles escolhem um esporte olímpico para desenvolver pesquisas teóricas e apresentar à sua classe. Em seguida, os próprios alunos organizam a parte prática, conduzindo toda a aula, sob mediação do professor.

 

20160512_120009

 

“Além do aprendizado e conhecimento de modalidades olímpicas, que podem despertar o interesse pela prática e por atitudes positivas quanto à saúde e qualidade de vida, a ideia é fazer com que os alunos sejam capazes de participar de diferentes práticas corporais com respeito a si, ao outro e à própria atividade, sempre buscando a inclusão de todos durante esse processo”, explica Diogo Oliveira, professor de educação física do fundamental 2. Ele acrescenta ainda que “as crianças poderão ampliar o próprio repertório de jogos, brincadeiras, esportes, danças, lutas e ginásticas e entender o funcionamento do corpo humano”.

 

Cooperação – Outra ação importante realizada este ano na Escola Santi, na área de Educação Física, é o projeto de Jogos e Brincadeiras Cooperativos. Trata-se de atividades direcionadas aos alunos a partir de cinco anos de idade, com o objetivo de resgatar valores humanos como amizade, solidariedade e respeito. “Entendemos que ao realizar tal resgate, estimula-se a integração entre os alunos e o desenvolvimento de um ambiente cooperativo de aprendizagem, em que atitudes positivas, respeito ao erro e incentivo à aprendizagem passam a fazer parte das aulas”, analisa o professor Mariano Medeiros. Os jogos cooperativos acontecem desde o T5 até o 9° ano.

ed fis 2

Ex-alunos atletas – A Escola Santi tem um histórico de contribuir na formação de atletas que hoje brilham no cenário esportivo nacional, além de serem exemplos inspiradores para as novas gerações. O maior deles é o ex-aluno William Peixoto Arjona, 36 anos. Antes de se tornar um dos jogadores brasileiros de vôlei mais vitoriosos da história, o levantador do selecionado nacional deu seus primeiros toques na bola aos 8 anos, na escola. Porém, William faz questão de ressaltar que “foi esta escola, uma extensão de minha casa, que me ajudou a me formar acima de tudo um cidadão”.

IMG_9737

Outro esportista de destaque que passou pela Santi é Alexandre Tingas, 30 anos, um dos principais ciclistas do Brasil. Tingas estudou na escola desde a educação infantil até a então 8ª série (atual 9º ano), em 2001 e lembra com carinho das aulas e dos professores. “Tenho ótimas lembranças e sempre considerei interessante a postura do professor Orlando Gabrielle Junior, em incentivar os alunos para que quisessem mais do que simplesmente fazer as aulas de educação física”, explica. Dentre seus principais feitos estão o primeiro lugar no Grande Prêmio Brasil de Ciclismo (2012), o bicampeonato Paulista de Ciclismo (categoria contra relógio, em 2014 e 2015), além de ser campeão brasileiro de estrada e do Grande Prêmio Brasil de Ciclismo (2015).

alexandre tingas

O mais jovem dos ex-alunos atletas da Santi é o nadador Tomás Toledo Piza, 15 anos. Atualmente morando nos EUA, o esportista recorda com carinho da época em que estudou na Santi. “Tenho ótimas lembranças do período que vivi na Santi. As aulas muito bem dadas e sempre fui muito próximo dos professores”. Contabilizando cerca de 60 medalhas desde o início da carreira, Tomás obteve a medalha de ouro de melhor “freshman” (calouro), em um torneio disputado na Florida, já em seu primeiro ano treinando nos EUA, em novembro de 2015.  

Com uma rotina de treinos bastante puxada nos EUA, Tomás conta que já realizou um grande sonho. “Tive a honra de ‘dividir’ a piscina com o meu maior ídolo na natação brasileira, Cesar Cielo, que treinava na raia ao lado da minha”.

Tomás Piza 2

 

De volta às origens

No dia 06 de maio, William Arjona voltou à Santi, onde tudo começou, para um bate-papo e bate-bola com os nossos alunos. Nesse encontro, William reencontrou amigos e colegas de time, contou sobre sua carreira no vôlei e seu tempo na Santi e participou de jogos com todas as atuais equipes de vôlei da escola, com nossos ex-alunos e, como não podia deixar de ser, com seus antigos companheiros de time.

O encontro foi registrado por equipes da RedeTV e da BandSports. Confira as matérias produzidas por cada uma das emissoras!

IMG_9790