Gamificando a aprendizagem

Gamificando a aprendizagem

Escola Santi

22 de março de 2021 | 12h19

Toda criança adora brincar. Não importa como, os pequenos podem passar horas brincando e se divertindo. Entre essas brincadeiras, um dos grandes favoritos das crianças são os jogos eletrônicos, cada vez mais presentes em nosso dia a dia, tanto nos computadores e consoles quanto nos tablets e celulares. Com infinitas opções de histórias, estilos e jogabilidades diferentes, os games nos permitem transitar por vários universos, proporcionando uma experiência muito divertida. Porém, além da diversão, os jogos eletrônicos também podem contribuir muito para o desenvolvimento e aprendizado das crianças quando aproveitado corretamente, pois apresenta uma série de narrativas e desafios a serem solucionados pelos pequenos de forma totalmente interativa. Justamente por isso, os games se tornaram uma ótima alternativa para atrair os alunos e ensiná-los em um ambiente lúdico, de descontração. Afinal, quem não adora jogar um bom videogame?

O que é a Gamificação?

“Gamificação” é uma palavra originada do termo “gamification”, do inglês, que consiste na aplicação de elementos e conceitos de jogos em atividades que, normalmente, não se relacionam com esse universo. Basicamente, é uma proposta que busca trazer elementos como a interatividade, os desafios, e a tecnologia aplicada em games para inseri-los em um outro contexto, como o da educação, para criar uma proposta de ensino diferente do habitual. “Os games divertem as crianças, e isso é um atrativo”, relata Larissa Carillo, professora de Games & Coding na Santi. “O uso de games em atividades educacionais torna o processo de ensino-aprendizagem algo mais rico e prazeroso”. Os games possuem diversas ferramentas que permitem elaborar propostas que vão muito além do convencional, fazendo com que os alunos criem cada vez mais interesse no assunto que estão pesquisando.

Como ela pode contribuir para o aprendizado?

Além de cativar jovens e crianças, a gamificação tem se tornado uma tendência cada vez mais relevante no cenário mundial da educação por apresentar uma série de benefícios para o processo de ensino. Por estimular a interação constante do jogador, os games contribuem no desenvolvimento da atenção, da concentração, da memória, do raciocínio lógico, da organização e do planejamento. As variedade de situações que podem acontecer em um jogo também contribuem favorecem a criatividade na elaboração de estratégias e resolução de problemas, pilares essenciais para que os alunos estejam sempre se desafiando e testando novas hipóteses que o levarão ao aprendizado.

Como isso é aplicado na Santi?

Aqui na Santi, estimulamos desde a infância o aprendizado por meio de jogos e brincadeiras. A partir do 8° ano, nossos alunos participam de um curso bilíngue de Games & Coding, que contribui não só com a prática de idiomas, mas introduz alunos ao universo dos jogos e da programação. Por meio de plataformas como o Scratch, desenvolvida pelo grupo MIT, convidamos os alunos a pôr as mãos na massa, de forma que aprendem a programar fazendo seus próprios games, animações e histórias, que podem ser utilizados posteriormente como ferramenta de ensino para outras turmas. “Essas ferramentas potencializam o aprendizado e desenvolvem habilidades importantes,  como criatividade, perseverança e resiliência” , aponta Larissa.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.