Santi abre as portas para projetos e ideias transformadoras

Santi abre as portas para projetos e ideias transformadoras

Escola Santi

02 de abril de 2019 | 15h28

Intitulado “Conectando Ideias e Iniciativas para um Mundo Melhor”, evento possibilitará ao público contato com iniciativas ligadas ao meio ambiente, educação, inovação social, direitos humanos, infânciacuidados com animais, refugiados, saúde  bucal, inclusão social e  práticas colaborativas.

Apresentar, incentivar e realizar ações transformadoras, que possam contribuir para a melhoria do planeta, unindo pessoas para ajudar a sociedade. Em síntese, esta é a proposta do projeto Santi de Portas Abertas, que ocorrerá na Escola Santi – localizada no bairro do Paraíso, em São Paulo – no próximo dia 13 de abril, sábado, entre 9h e 13h.

Em sua sexta edição, a iniciativa, intitulada “Conectando Ideias e Iniciativas para um Mundo Melhor”, reunirá projetos relacionados a diversos temas e ações como meio ambiente, educação, inovação social, direitos humanos, infância, cuidados com animais, refugiados, saúde bucal, inclusão social, além de práticas colaborativas, entre outros.

O evento, gratuito, receberá alunas, alunos, mães, pais e demais integrantes da comunidade escolar, bem como parceiros e convidados de maneira geral, interessados pela proposta do Santi Portas Abertas. Além da exposição de projetos e ideias inspiradoras estão programadas ainda outras ações como feiras de trocas de uniformes da Santi, de brinquedos e de livros de literatura, além de oficinas para as crianças.

Inscrições – E as instituições e parceiros interessados em apresentar os seus projetos à comunidade da Escola Santi ainda podem realizar as suas inscrições, que estão abertas por meio do site www.escolasanti.com.br, até o dia 05 de abril.

Coordenado por Camila de Mauro, responsável pelos eventos e atividades extracurriculares da Santi, a iniciativa conta ainda com um grupo de mães e pais voluntários em sua organização. “Nosso objetivo é compartilhar entre a comunidade iniciativas existentes que muitas vezes estão próximas, mas não são conhecidas, por meio de um espaço de exposição e troca de experiências e iniciativas que visam à melhoria do mundo”, explica Camila Mauro.

TROCAS

Para a Feira de Trocas, o procedimento será simples: cada criança poderá trazer um brinquedo, peças de uniforme e livros de literatura em bom estado e que deseja trocar.

“Nossa intenção é provocar o movimento de troca em adultos e crianças, aguçando o olhar para aquilo que temos, não mais utilizamos e que pode ser útil para alguém e então podermos trocar ao invés de jogar fora e comprar outro”, ressalta Adriana Cury Sonnewend, diretora da Escola Santi.

Troca-Troca de Uniformes – Os uniformes poderão ser doados mesmo que a criança não necessite da reposição de um novo conjunto para o ano seguinte. Desta maneira, todos os alunos terão a chance de aproveitar. “Os pais poderão retirar as peças que necessitam, lembrando que a ideia é selecionar para a doação apenas roupas em bom estado”, completa a diretora da Santi.

Trocando Histórias – Livros de Literatura – Já a troca de livros de literatura tem por objetivo estimular que os alunos e pais adquiram obras de maneira sustentável e, ao mesmo tempo, renovem as suas bibliotecas pessoais. No dia do evento, as obras – em bom estado – estarão organizadas pelas categorias Infantil, Juvenil e Geral. A diretora ressalta a importância da troca de livros: “fomentar a leitura de bons textos literários é fundamental para formação das crianças”.

Troca de Brinquedos – Inspirados pelas feiras de troca realizadas na cidade de São Paulo pelo Instituto Alana, em que a troca de brinquedos é realizada exclusivamente pelas crianças, a proposta é que elas tragam os brinquedos que querem trocar e aprendam a fazer isso na feira. Todas as orientações serão dadas pelos adultos responsáveis no dia do evento.

PROJETOS

Estarão expostos no 6º Santi de Portas Abertas, em espaços com stands para que cada um possa contar sobre a sua iniciativa, fazer conexões, inspirar e gerar novas ideias, projetos como:

Dentista Móvel – Iniciativa que desenvolve conceitos de autocuidado em saúde bucal por meio de “agentes mirins”, em que as próprias crianças se tornam agentes da mudança comportamental, começando a cuidar de seus dentes e também incentivando os adultos a participarem do processo.

Conectas Direitos Humanos – Organização criada para proteger, efetivar e ampliar os direitos humanos, especialmente os mais vulneráveis, propondo soluções, impedindo retrocessos e denunciando violações para produzir transformações. Mais do que uma organização não governamental, é parte de um movimento vivo e global que persiste na luta pela igualdade de direitos por meio de uma rede extensa de parceiros espalhados pelo Brasil e pelo mundo.

Conecte os Pontos – Ferramenta para doações, por meio de um site que trabalha como uma ponte de conexão entre entidades e doadores. O objetivo é intermediar pessoas que queiram doar qualquer objeto (livros, brinquedos, móveis etc) e até seu próprio tempo, com entidades sérias e competentes, de maneira simples e segura.

Lixiki Ecoeducação – Oficinas temáticas de técnicas de reutilização que ensinam a transformar lixo em objetos para brincar, usar e decorar. Uma brincadeira que promove o aumento da vida útil dos materiais e provoca reflexão consciente sobre consumo e a importância de reduzir e reciclar.

Vagalume – Há muitos anos a Escola Santi e a Vaga Lume são parceiras no Programa Rede, um ciclo anual de intercâmbio cultural entre as bibliotecas da Amazônia e escolas da região Sudeste do Brasil.

VIDAS – A missão da “VIDAS” é promover a socialização e inclusão da criança e do adolescente com deficiência física, bem como da sua família, por meio de atividades físicas e de lazer. O objetivo é proporcionar às crianças o resgate de sua infância, do brincar e do conviver, aplicando atividades físicas e de lazer que muito se assemelham a aulas de educação física. Tudo a partir de uma abordagem lúdica, respeitando a idade, o interesse e a necessidade individual de cada participante.

Cidadeiras: “Brincadeiras No Quarteirão” – Ação educativa ao ar livre que promove encontros e descobertas das crianças e adultos a respeito da cidade, dos bairros e seus arredores, a exploração das calçadas, praças e espaços públicos. Nestas experiências surgem reflexões e ideias de como queremos construir nossa cidade, incluindo as crianças junto àqueles que habitam, usufruem, conhecem e pertencem ao território. As crianças, nesta relação atenta com o espaço urbano, transformam a cidade num palco de brincadeiras.

Eduqi – Aplicativo que conecta alunos a professores particulares. Esta plataforma se mostra importante para o campo da educação, por oferecer diversas opções de professores e por possibilitar uma análise do melhor custo-benefício antes da contratação de aula, que é realizada pelo próprio aplicativo, dando mais segurança e comodidade ao usuário. A plataforma também auxilia o usuário nas mais diversas etapas desde a escola até o mercado de trabalho.

Trilheiros do Saber – Projeto de educação vivencial e apoio psicopedagógico aos adolescentes de abrigos e em situação de alta vulnerabilidade. São oferecidos processos educativos para o desenvolvimento e a alfabetização destes adolescentes.

Feira Étnica – Trata-se de um grupo de expositores refugiados. Além de divulgarem seu trabalho artesanal, dentro da iniciativa de empreendedorismo criativo, os refugiados compartilham a cultura do seu país.

Projeto Voluntariado Jovem – O Projeto Voluntariado Jovem da Turma do Jiló trata de encontros com jovens de 11 a 16 aos para discutir filantropia e responsabilidade social por meio de dinâmicas e sensibilizações. O objetivo é incentiva-los a realizar trabalhos voluntários, contribuindo para um novo imaginário social de cidadania. O programa tem como base a cooperação, responsabilidade, solidariedade e compromisso.

Associação Vagalume – Mobilização dos jovens participantes ou ex-participantes do Programa Rede para explicação das ações da Vaga Lume e captação de pessoas físicas que possam contribuir com suas ações.

Catland – Fundada em 2012, a Catland é uma ONG que tem como objetivo sensibilizar a sociedade sobre a guarda animal responsável, colaborar com o controle populacional dos gatos de rua e encontrar lares responsáveis para o maior número possível deles. A Catland já atendeu mais de 6.300 gatos em situação de abandono e busca, por meio de ações efetivas como castração solidária, palestras, resgates e adoção, para contribuir na construção de um mundo melhor. Atualmente, a ONG, que já viabilizou diretamente a adoção de quase 6.000 gatinhos, conta com mais de 200 voluntários ativos que colaboram em diversas áreas como cuidados de limpeza, eventos, mídias, saúde, TI, administrativo, RH, jurídico, logística e bem-estar dos mais de 300 animais abrigados em sua sede e em lares temporários.

Friendship Circle – Projeto sem fins lucrativos que visa a inclusão social de crianças especiais por meio da amizade. Parece simples, mas tem tanta gente envolvida neste projeto único e pioneiro, que a classificação “especial” ganha uma dimensão muito maior.  A palavra especial está relacionada ao que é importante, ao que faz a diferença, ao que toca fundo no coração da gente. O Friendship Circle é feito para crianças especiais, mas são elas que fazem todo um emaranhado de pessoas se sentirem especiais. É uma sequencia: a criança recebe em casa uma dupla de jovens voluntários para brincar e fortalecer a amizade; a dupla de voluntários foi orientada por um grupo de psicólogos; que também conversam com os pais; que trocam informações e fazem amizades entre si; que confiam seus filhos aos motoristas do projeto; que rodam a cidade para assegurar o encontro dos voluntários e crianças; que são a alma do Friendship e que sem os doadores e apoiadores, não existiria.  O ciclo se renova a cada semana, com as vivências entre o assistido – que recebe carinho e atenção – e os voluntários, que doam tempo e dedicação. Há 4 anos no Brasil, o Friendship Circle foi criado nos Estados Unidos há mais de duas décadas e está presente em diversos países. Além da visita semanal, há o cuidado por parte da organização do Projeto em realizar atividades extras, com intuito de reunir as famílias, ampliar a assistência e proporcionar novas experiências para voluntários e assistidos. Aqui, é lugar de gente especial – gente que doa, que recebe, que faz e acontece.

Ativitae: Outdoor em família – ATIVITAE compartilha experiências e dicas para incentivar as famílias a incluir seus filhos em atividades junto à natureza, com importantes contribuições para a formação das crianças. Além de blog e dezenas de palestras já feitas, desde 2017 publico artigos sobre o tema no Portal Extremos. Faremos exposição de equipamentos utilizados em viagens de bicicleta com nossos filhos (como a travessia dos Alpes, em 2015).

Projeto Juntos – Promover oportunidades de vivência teatral e esportiva a crianças de comunidades carentes gratuitamente.

Recursos Humanos e Território – A Associação Beneficente Coração Amigo atua na proteção básica de crianças e adolescentes de 06 a 18 anos, para a prevenção de situações de risco social, proporcionando o fortalecimento dos vínculos familiares e comunitários.

Exposição de corpos das penhas – Participo de um serviço da Assistência Social cujo foco é o atendimento de mulheres vítimas de violência doméstica, para que consigam superar a situação de violação de direitos. Desde o ano passado expomos no nosso território, Cidade Ademar, 16 “corpos de penhas” para demonstrar histórias reais de feminicídio que aconteceram na zona sul de São Paulo, conforme levantamento de dados feito pelo Ministério Público. Também expomos nosso trabalho para explicar a importância para o combate à violência doméstica.

Biodigestão – HomeBiogas (“Transforme resíduos orgânicos em energia limpa e renovável”) O nosso intuito é levar a toda sociedade este conhecimento e soluções, promovendo educação e o olhar para o cuidado com o nosso mundo e meio-ambiente.

Instituto Gabi – Incluindo as diferenças O Instituto Gabi é uma Organização da Sociedade Civil (OSC) que atua há 18 anos na inclusão social de pessoas com deficiência de baixa renda na Zona Sul de São Paulo. Temos um projeto de geração de renda conhecido como Mães Artesãs. Enquanto seus filhos com deficiência são atendidos, elas participam de uma oficina de geração de renda.