Como tem sido o ensino à distância da Santi?

Como tem sido o ensino à distância da Santi?

Escola Santi

28 de abril de 2020 | 15h40

Há pouco mais de um mês, o Novo Coronavírus chegou ao Brasil e impactou fortemente o nosso cotidiano. Seguindo recomendações do Ministério da Saúde e das Secretarias Estadual e Municipal de Educação, a Santi interrompeu as atividades presenciais e reorganizou toda a sua rotina pedagógica em plataformas digitais, dando continuidade ao ano letivo. Para Elaine Ruiz, diretora pedagógica do 3º ao 9º ano, é importante que as crianças e os adolescentes possam manter a rotina, mesmo longe do ambiente escolar. “Esse será um período de muitas aprendizagens de diferentes naturezas, para toda a nossa comunidade”, reforça.

E como tem funcionado o ensino à distância?

Durante o período de quarentena, a Santi tem usado a tecnologia como o principal aliado. O horário de aula flexível e o uso de plataformas on-line e aplicativos permitem que nossos alunos possam receber orientações e interagir com professores e colegas de classe, buscando ao máximo recriar um ambiente educacional que os aproxime do cotidiano na escola e atenda às necessidades de cada segmento de ensino.

Em aplicativos como o Padlet, por exemplo, usado com os alunos da Educação Infantil, são publicados vídeos de professores conversando com os pequenos, imagens,  atividades e orientações para que as famílias possam compreender como ajudar as crianças. Todas as propostas consideram o caráter lúdico, imprescindível neste momento da escolaridade.

No caso do Ensino Fundamental, os estudantes têm acesso a um ambiente on-line completo, onde são organizadas atividades elaboradas para o contexto de cada série e idade, com acompanhamentos regulares do corpo docente. Na plataforma Google Classroom, já utilizada anteriormente pelos alunos e ampliada para este momento atípico, são promovidos plantões de dúvida on-line, videoaulas e aulas ao vivo, além de momentos de interação entre os alunos. “Compreendemos a importância de preservar o vínculo emocional dos alunos com os colegas e com os estudos durante este período, por isto, a interação e as propostas não presenciais são fundamentais”, relata Elaine Ruiz. “Continuamos atentos aos nossos alunos e levando em consideração que é um momento que demanda ainda mais instâncias de conversa e de escuta”.

Para manter o empenho e a qualidade de ensino adequados, as famílias desempenham um papel ativo para que esse novo ambiente educacional ganhe ritmo e familiaridade no cotidiano, podendo ajudar tanto na organização da rotina e com o local onde serão realizadas as atividades, quanto com as orientações e recursos disponibilizados, sem ultrapassar as próprias responsabilidades. “De certa forma a sala de aula está em casa, então é importante um cuidado para que a família não se sinta responsável por ensinar seus filhos”, aponta a diretora, enfatizando a relação de parceria entre família e escola. “Esse é o momento de nos unirmos ainda mais e, em parceria, ajustarmos e resolvermos os problemas que surgirem”.

E quais serão os próximos passos?

É importante dizer que as as relações e a convivência são aspectos centrais da vida na escola e continuarão sendo preservados por ela, ainda que, provisoriamente, à distância. Mesmo em um momento atípico e preocupante, a Santi se mantém fiel à sua essência, sempre considerando o aluno como centro do processo educacional, trazendo novos materiais, novas propostas e aulas que vão muito além da tela do computador. “Sabemos que estamos num momento de encantamento, orgulhosos com a qualidade do que conseguimos produzir até aqui para garantir a continuidade da nossa missão. Mas estamos conscientes de que este é apenas o começo. Quanto mais tempo esta situação durar, maiores serão os nossos desafios. Acreditamos, no entanto, que, com a união da equipe e a parceria das famílias, construiremos as melhores condições para os alunos seguirem aprendendo, certamente teremos boas histórias para contar quando tudo isso passar e pudermos voltar a ser, por inteiro, a escola que defendemos e desejamos”, afirma Dami Cunha, Diretora pedagógica da Educação Infantil ao 2° ano.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.