Como professores podem contribuir com a melhora do comportamento dos estudantes

Como professores podem contribuir com a melhora do comportamento dos estudantes

Escola Santi

26 de abril de 2021 | 17h44

Em toda sala de aula podemos encontrar os mais diversos tipos de alunos, com diferentes formas de pensar. Em uma mesma turma, conhecemos os quietinhos, os agitados, os bagunceiros, os estudiosos, introvertidos, extrovertidos, artistas, de exatas, humanas, biológicas… E é saudável incentivar a convivência entre todos os grupos, para que os alunos aprendam a lidar e respeitar pessoas com gostos e jeitos diferentes dos deles, sem ter que mudar sua própria essência. Entretanto, independente da personalidade do estudante, existem certos comportamentos que são esperados de todos e que precisam ser reforçados para que o ambiente de aprendizagem continue saudável e produtivo. O papel do educador é auxiliar seus alunos a aprenderem a importância de melhorar suas posturas em sala de aula. 

O professor influencia no comportamento do estudante pois atua como um modelo, uma pessoa em quem ele se espelhará nos mais diversos comportamentos. Algumas práticas vivenciadas nas rotina, como a importância da entrega das atividades com dedicação e nos prazos combinados, saber questionar nas situações de dúvida, organizar uma rotina de estudo, a expectativa que se têm sobre a participação nas aulas e nos trabalhos em grupo, entre tantas outras, são posturas que parecem básicas, mas extremamente relevantes para o desenvolvimento do aluno em sua vida acadêmica. Entretanto, não são todos os que possuem facilidade para colocá-las em ação. 

Quando o professor compartilha formas pessoais de trabalho, retoma posturas de quando era aluno em seu percurso individual e demonstra estratégias que ele próprio utilizava como estudante, o docente inspira que seus educandos encontrem estratégias de adequarem as posturas esperadas à sua própria personalidade. É importante que a criança consiga compreender porque determinados comportamentos são necessários e como colocá-los em prática de sua própria maneira. O mais importante no processo é que o aluno entenda qual o sentido do aprendizado e que esse sentido pode ser adaptado para ficar confortável aos seus gostos e maneiras de pensar e agir. 

“Acredito que é fundamental que exista admiração e troca contínua nessa relação.”, comenta a Professora Daniela Venturi de Abreu, uma das responsáveis pelo Ensino Fundamental 1 da Santi.  “O educador deve ensinar ferramentas e estratégias que auxiliem os alunos nos procedimentos que fazem parte de uma postura de estudante, da forma de ser aluno, esperada nas diversas faixas etárias da escolaridade”.

Na Santi, conversamos com os alunos diariamente sobre quais procedimentos são esperados na postura deles, para aquela determinada série/faixa etária e os motivos de tais posturas. É fundamental que os alunos saibam os motivos de estarem aprendendo esses procedimentos, para que de fato façam sentido. Ao longo desse processo, buscamos reconhecer as individualidades de cada estudante, buscando encontrar a melhor forma de transmitir esses valores. Essa postura também é trabalhada nas próprias ações diárias dos docentes, para não só dar o exemplo para os mais novos, mas também aperfeiçoar a relação entre estudante e professor.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.