Como a natureza contribui para o desenvolvimento das crianças

Como a natureza contribui para o desenvolvimento das crianças

Escola Santi

06 de julho de 2020 | 08h30

Hoje em dia, vivemos em um mundo altamente moderno e tecnológico. As telas e os aparelhos fazem ainda mais parte do nosso cotidiano neste momento que vivemos, eles acabam ofuscando a natureza ao nosso redor. Porém, estimular o contato com o meio ambiente é fundamental para uma vida mais saudável, seja física e psicologicamente, contribuindo até mesmo para a aprendizagem e o desempenho escolar.

De acordo com a professora Roberta Mráz, que leciona a turma do T5 A, ao estimular o convívio das crianças com o meio natural, elas desenvolvem sensibilidade, zelo e respeito com o mundo à sua volta. “O contato com a natureza nos reconcilia com nosso ser. Nosso corpo fica mais vivo e somos chamados a restaurar a natureza que existe em nós e nos lugares em que vivemos”, explica a professora. Essa conexão precisa ser um encontro feliz, com afetividade, com manuseio e com contato direto, provocando a curiosidade e permitindo a interação espontânea com o meio ambiente, criando brincadeiras, explorando e se arriscando, propondo que os elementos naturais dialoguem com sua imaginação. Assim, a natureza passa a proporcionar diversas experiências que possibilitam o aumento do autocontrole e uma vivência mais harmônica para que as crianças conheçam seus próprios limites, experimentem novos sabores, sons, aromas e sensações ligados ao meio ambiente, inclusive demonstrando maior interesse e envolvimento com os seus arredores. “Quando a gente está fechado entre quatro paredes, não temos liberdade, só a da imaginação, mas a imaginação por meio da natureza é muito mais viva, muito mais pulsante, muito mais forte”, aponta Roberta.

Na Santi, a natureza está presente como tema de muitas conversas e propostas artísticas, que vão desde observar o céu até investigar e recriar as diferentes moradias dos animais, como o formigueiro e o ninho do João de Barro. Os pequenos, inclusive, tem dois bons amigos que os acompanham no dia a dia: a Martina e o Inácio, os dois jabutis que ficam na nossa escola. Durante o dia, os alunos podem interagir com os animais tanto de maneira mais direta, como alimentando, quanto de maneira indireta, apenas observando a maneira como se comportam, e com isso podem fazer apontamentos e levantar hipóteses sobre os bichinhos, promovendo discussões na sala de aula. Buscamos sempre organizar esses espaços e disponibilizar materiais que, além de convidar e acolher os alunos para uma nova experiência, favoreçam e incentivem a criatividade a imaginação. “Acreditamos nesse envolvimento em viver o que é vivido pelas crianças, por isso a relação da vivência de hoje com o espaço, a organização dos ambientes e qual a proposição que as crianças viverão. Precisamos pensar em todo esse contexto”, finaliza a professora.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: