Adaptação escolar sem traumas

Adaptação escolar sem traumas

Escola Santi

21 Julho 2015 | 18h00

As férias logo acabam e muitas crianças começam sua vida escolar. Como fazer desta etapa algo tranquilo e sem traumas?

 

Introduzir a rotina escolar na vida das crianças é uma novidade para muitos pais. Nesta fase, alguns cuidados podem facilitar, e muito, a separação dos pais e filhos.

Para amenizar o impacto, é importante adaptá-las gradativamente. Ciente disso, a Escola Santi propõe uma rotina diferente nas primeiras semanas de aula, com tempo reduzido e presença dos pais no ambiente escolar. Gradativamente, amplia-se o tempo até que os pequenos fiquem o período todo com a professora e os pais, aos poucos, vão se afastando até que possam apenas trazer e buscar seus filhos com segurança e tranquilidade de ambos.

10629792_860849007290418_2128236092840204294_n

 

“O início da vida escolar é uma experiência desafiante. Novo espaço, novas pessoas, novas regras, rotinas e um momento de ficar longe da família por uma boa parte do dia. É, sem dúvida, um tempo de fortes emoções e descobertas; um tempo de inseguranças e incertezas trazidas pelo desconhecido”, nos conta Adriana Cury, diretora da escola.

Muitas são as situações preparadas pelos nossos profissionais para acolher as crianças nos primeiros dias – o ambiente, as atividades, os brinquedos e brincadeiras são planejados nos mínimos detalhes. Permitir que tragam objetos de casa, seja um bichinho de pelúcia, um brinquedo ou um paninho, ajuda a transmitir segurança.

11011742_865704903471495_7314267382112634965_n

 

A adaptação não é apenas dos filhos, é também dos pais. Por isso, tirar as dúvidas é fundamental. Os pais podem e devem perguntar aos educadores sobre tudo o que for necessário.

A aproximação entre alunos e professores é fundamental e vai acontecendo naturalmente. Para isso, é importante que, mesmo presentes, os familiares transfiram aos educadores a responsabilidade de atender as solicitações dos pequenos. Assim, a segurança e confiança dos pais vai sendo transmitida a seus filhos.

“O processo de adatpação é individual. Cada criança tem seu ritmo e é muito comum que haja oscilações de humor e comportamento durante este período. É importante que os pais e a escola mantenham-se seguros e tranquilos, cientes de que é um período de transição e que logo vai passar”, nos explica Adriana Cury – diretora geral da Escola Santi.

adapt 1   adapt 3

adapt 2   adapt 4