Xadrez + tecnologia

Xadrez + tecnologia

Colégio Santa Maria

15 Março 2016 | 09h37

Quando os alunos do 3º ano Fundamental I do Colégio Santa Maria chegam para a primeira aula no laboratório de tecnologia, é notável o espanto e a pergunta no ar: Xadrez na Informática? Logo a dúvida dá lugar à empolgação, típica de quem está tendo contato com um dos jogos mais antigos do mundo.

Durante todo o bimestre, as crianças aprendem as regras fundamentais do jogo e as colocam em prática com os colegas de classe. Nesse ponto, a utilização de softwares específicos para pequenos enxadristas é uma estratégia e tanto. Ali, o aprendiz é colocado em contato com diversos jogos pré-enxadrísticos contra uns dos mais difíceis oponentes: o computador. Numa dessas atividades, por exemplo, o desafio é fazer um cavalinho pular obstáculos para chegar até sua comida, numa oportunidade lúdica de fixar ainda mais um movimento tão importante no tabuleiro.

cavalinho IMG_3951

A essa altura, o computador já não é mais visto como objeto de desejo, mas apenas o meio para a aprendizagem do Xadrez. Ao praticar na máquina, motivada pela possibilidade de vencê-la, a criança alcança um nível de cálculo e antecipação cada vez mais apurado, além de lapidar habilidades como concentração, atenção, paciência, autocontrole e memória.

Claro que, em momentos diferentes, os alunos têm exercícios no tabuleiro convencional, onde praticam ainda mais as estratégias aprendidas no computador, mas agora desafiando seus amigos. E é exatamente aí, socializando, compartilhando e se divertindo que o ser humano desenvolve a habilidade que irá levá-lo a vencer a máquina: a criatividade.