Um território de experiências motoras e sensoriais!

Um território de experiências motoras e sensoriais!

COLÉGIO SANTA MARIA

06 de novembro de 2019 | 07h30

Autoria: Claudio Natacci e Fatima Regina Fernandes Trigo Perazzoli

“Através da sensação vemos cores e formas, tocamos diversas texturas, sentimos temperaturas, ouvimos sons, cheiramos, saboreamos. A sensação é uma reação corporal imediata a um estímulo externo. As sensações no corpo são o grande veículo para percebermos: nós mesmos; os outros (seu estado, seus sentimentos, suas sensações); lugares e climas.” – Adriana Friedmann

Brincadeiras e explorações no bosque do Colégio Santa Maria fazem parte do cotidiano do Jardim II, mas caminhar por este ambiente percebendo aromas, texturas, sons e diferentes sensações torna tudo mais divertido!

Olhar, sentir, tocar, experimentar e vivenciar. Corpo que sente e se movimenta. Conhece o mundo e aprende. Pelo bosque, vamos caminhar?

 

Com este convite as crianças do Jardim II A foram instigadas a realizar uma caminhada diferente tendo como desafio perceber e interagir com este ambiente a partir de desafios motores e sensações captadas pelos cinco sentidos. Durante o percurso colocaram em ação habilidades motoras ao subir, descer, pular, andar em terreno íngreme e desviar de obstáculos naturais, como galhos, raízes, pedras e pequenos insetos.

 

Mas a diversidade biológica encontrada neste ambiente também aguçou a curiosidade, os sentidos e a imaginação. Entre a vegetação, as crianças apreciaram o voo das borboletas, sentiram o cheiro das folhas e da terra molhada, ouviram o canto dos pássaros, o som das cigarras e das folhas que balançavam com o vento. Sentiram a brisa suave, a textura dos troncos, sementes, folhas e galhos. Esta mistura de sensações trouxe lembranças possibilitando a narrativa de outras vivências realizadas em contato com a natureza.

 

E para completar, pelo caminho do bosque encontraram um pé de chuchu e algumas árvores frutíferas (abacateiro, mamoeiro e bananeira). Logo avistaram um enorme cacho de banana. Vamos colher?

O jardineiro nos ajudou com a retirada do cacho e, como as bananas estavam verdes, o guardamos em uma caixa de papelão e acompanhamos o processo de maduração que durou alguns dias. Atentamente, as crianças observaram as mudanças, realizaram registros e estabeleceram relações acionando seus conhecimentos. Depois de duas semanas, as bananas estavam maduras e todos puderam degustá-las. Estavam deliciosas!

 

Agora todos estão ansiosos por uma nova caminhada, descobertas e aprendizagens!

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: