Trabalhando com projetos: interdisciplinaridade e formação integral

Trabalhando com projetos: interdisciplinaridade e formação integral

COLÉGIO SANTA MARIA

18 de fevereiro de 2019 | 09h12

Autoria: Tiago Fernandes Souza e Fabíola Iszlaji de Albuquerque

        

Como é o aluno que desejamos formar no Colégio Santa Maria? Como este indivíduo atuará na sociedade ao concluir seu percurso no Colégio? Que experiências viverá dentro e fora de escola que o prepararão para os desafios encontrados na vida cotidiana? Estas são algumas das múltiplas perguntas que um educador do Colégio Santa Maria se debruça todo início de ano, bem como ao longo da execução do seu Plano Anual de Ensino.

 

A sociedade contemporânea exige cada vez mais deste indivíduo: são tecnologias em favor da evolução humana que também se sobrepõem a cada ano e se amalgamam; meios de informação que informam e deformam; redes sociais que unem, todavia que podem também criar universos paralelos e muitas vezes enclausurar; relações pessoais e crenças que constroem o indivíduo e que, ao mesmo tempo, são postas em xeque, enfim, situações do cotidiano que exigem do indivíduo um posicionamento e atitudes. Diante desta complexidade, a Escola não pode simplesmente se omitir e se propor a ensinar apenas aquilo que muitas vezes restritamente chamamos de “conteúdo”.

 

Os conteúdos passam pelos cálculos, gramática, teorias, teoremas… mas não se restringem a eles. É também conteúdo a roda de conversa diante de um problema que surgiu há poucos dias e que gerou comoção social; é conteúdo aprender a fazer o vídeo ou a cisterna; é conteúdo a assembleia de classe; são conteúdos as inúmeras vivências promovidas ao longo do ano; é conteúdo a ação social… Se coloca o indivíduo a abrir diálogos entre teoria e prática, se faz pensar e mobiliza para novas experiências não pode deixar de ser conteúdo.

 

Nildo Ribeiro Nogueira, em seu livro Pedagogia dos Projetos, nos faz refletir sobre o aluno que formamos quando exemplifica o caso do aluno que saiu da escola e passou em primeiro lugar no curso de medicina mais concorrido do país, entretanto que se tornou uma pessoa extremamente tímida e não consegue estabelecer vínculos com seus colegas e família, anda de modo descoordenado e cabeça baixa, não possui amigos e passou a maior parte de sua vida dentro de um quarto estudando. Quanto a seu aspecto cognitivo, certamente não haverá o que questionar, mas estaríamos diante de um futuro excelente médico? A vida se restringe a um exame vestibular?

 

É preciso entender que o aluno é um indivíduo que precisa ser trabalhado de modo integral, não apenas a cognição. A aprendizagem precisa passar pelas experiências reais que a vida proporciona, partindo de situações simples para as complexas, com propostas desafiadoras. Para isso, acreditamos que o melhor caminho está no trabalho com PROJETOS.

 

Em todas as séries do Colégio Santa Maria, as equipes propõem um projeto integrador e interdisciplinar chamado PROJETO DA SÉRIE. No 8º ano, o projeto vem com uma pergunta: “Cultura e Identidade: qual o meu papel no mundo?”. Com esta provocação e ações direcionadas ao longo do ano, queremos que o aluno exercite com frequência o olhar para seu entorno, suas raízes, suas crenças, para si mesmo e para o outro. Assim como, diante das situações postas, se posicione. Deste modo, entendemos que contribuímos com a formação integral do indivíduo.

 

O Projeto Atualidades, inserido no Projeto da Série do 8º ano, nasceu com o objetivo de trabalhar assuntos atuais com os estudantes. É um projeto interdisciplinar que contempla História, Geografia, Ciências e Língua Portuguesa, mas que também conta com a participação de outros componentes curriculares dependendo do planejamento bimestral da série. Ao longo dos bimestres, os diferentes componentes trabalham com textos, imagens e vídeos, como também promovem debates em torno do assunto escolhido. Como atividade final, há uma proposta de redação organizada pelo professor de Língua Portuguesa com textos e imagens enviadas pelas professoras e professores envolvidos no projeto.

 

O Dia Internacional da Mulher de 2018 foi marcado por atividades interdisciplinares em torno do tema “Violência Contra a Mulher”. Participaram os componentes de Matemática, Ciências, História, Geografia e Língua Portuguesa. Encerrando três dias de atividades, o coletivo feminista Santa Sororidade, criado por alunas do Ensino Médio do Colégio Santa Maria, conversou com alunas e alunos do 8º ano contando sobre a criação e trajetória do grupo desde 2015.

 

Feminicídio, exclusão e marginalização da mulher, direitos das mulheres, assédio moral, assédio sexual, misoginia, machismo e relações abusivas foram temas que atravessaram as diferentes atividades e marcaram a roda de conversa com o coletivo. A integração dos dois níveis da educação básica se mostrou muito produtiva, surpreendendo as alunas do coletivo positivamente, uma vez que perceberam que alunas e alunos do 8o ano estavam muito familiarizados com o tema, sensibilizados e conscientes da necessidade de uma sociedade baseada na equidade de gênero.

 

A proposta acima, além da contribuição significativa para a discussão do lugar e papel da mulher na sociedade contemporânea, foi também o ponto de partida para os trabalhos do projeto da série no bimestre seguinte sob o tema Adolescência: Violência e Diversidade.

 

O Estudo do Meio “Brás, Bexiga e Barra Funda: as migrações e as transformações econômicas, sociais e culturais na cidade de São Paulo” foi a principal atividade realizada no 2º bimestre e envolveu História, Geografia, Língua Portuguesa, Artes e Ensino Religioso. Com enfoque no processo das permanentes transformações culturais, históricas e geográficas alavancadas pelos sucessivos processos migratórios, o estudo permitiu analisar a diversidade em sua perspectiva étnica e cultural como também na transformação da paisagem de uma cidade que está o tempo todo se modificando.

 

Assim, além das atividades acima apresentadas, outras propostas ao longo do ano compuseram o Projeto da Série, permitindo que os estudantes se tornassem agentes transformadores da sociedade por meio de uma formação não apenas de excelência acadêmica, mas capaz de promover a cidadania, a autonomia e o respeito à diversidade. Agentes para um mundo mais democrático, humano e sustentável para todas e todos.

 

Referência bibliográfica:

NOGUEIRA, Nilbo Ribeiro. Pedagogia dos projetos: um jornada interdisciplinar rumo ao desenvolvimento das múltiplas inteligências. São Paulo: Érica, 2001.

Tendências: