Sintonizados nas ondas da Rádio Atividade

Colégio Santa Maria

09 de julho de 2020 | 07h05

Autoria – Veronice Leal e Lucilei Spitaletti

Como integrar os alunos, quando a ordem é cada um na sua casa respeitando o distanciamento social? Foi então que o 5º ano do Santa Maria e a equipe de Tecnologia colocaram em prática o projeto da Rádio Atividade. Um trabalho que já existia nas aulas presenciais, e desta vez aconteceu durante um isolamento por conta de uma pandemia.

Foi um desafio, que os alunos do 5º ano receberam com muito entusiasmo! Se havia dificuldade para acordar cedo, estar diante do computador e começar a aula, a partir do momento em que cada um recebeu sua função dentro da rádio, o cenário mudou.

Se, em sala de aula, os grupos de trabalho eram divididos, virtualmente os alunos foram separados por funções: redatores, promotores, DJs e locutores. Fez-se necessário também agrupá-los por temas: PORTAL COVID, MUNDO, CIÊNCIA, COTIDIANO, CULTURA e ENTRETENIMENTO.

Ah! Precisou haver, sim, lives, cuja finalidade era orientar os “locutores”, “promotores” e “redatores”  quanto à execução de seu trabalho, como, impostação de voz, aplicativos para gravação, fontes seguras de busca de informações do interesse dos interlocutores para que, desse modo, a produção de conhecimento fosse transferida para o mundo real.

Os “redatores” enviavam aos professores os artigos e notícias, que após alguns ajustes, iam para os “locutores”. Estes gravavam e encaminhavam os áudios para a plataforma da série. Os DJs, encarregados da programação musical, selecionavam músicas para postarmos na plataforma da série enquetes, onde decidimos as “TOP 10”. Dali, a equipe da informática buscava o material necessário, que seria utilizado na Rádio. Após editar a rádio e inserir vinhetas, o canal de comunicação estava criado.

Fabio Gomes Nunez, 10, conta que “foi divertido e interessante ir atrás de informações para a rádio, melhor ainda, foi ouvi-las e saber que, como eu, muitas outras pessoas estavam ouvindo-as também”.

A satisfação da participação não era somente dos locutores, mas dos redatores, como o Fábio. Todos valorizaram seu papel, como lembra Sofia Amaral Blanco, 10: “Fui responsável pelas informações para os locutores porque, sem elas, o que os locutores falariam, afinal?”

Para Ana Carolina Thompson de Carvalho, 10, cuja função era ser a locutora, “a experiência foi muito legal e inédita, pois aprendi sobre coisas que não sabia ao ler as notícias dos meus colegas. Confesso que tive de ensaiar muitas e muitas vezes minha fala, mas no final o resultado ficou muito bom! Valeu o esforço!”

“Fui locutora na rádio. Achei a iniciativa de fazermos um programa de rádio muito inovadora. Me diverti bastante durante os preparativos, as pesquisas e, principalmente, na hora de gravar o áudio. Pude aprender mais sobre diferentes assuntos e entender como funciona uma rádio. Percebi também que a rádio é um ótimo meio de nos comunicarmos com as pessoas durante esta pandemia. Estou curiosa para ouvir a transmissão do nosso programa!”, relatou alegremente Giovana Akemi Noguchi Boarati, 10.

Pais expressaram radiantes a admiração pelo engajamento dos filhos nesta proposta: “O projeto da escola de criar com as crianças um programa de rádio foi excelente e muito interessante. Em tempos de isolamento social, deu um novo ânimo para a realização das atividades. Escutar as crianças se organizando na elaboração e divisão das respectivas funções no programa, pesquisas, votação de música foi renovador. Elas encontraram um novo meio de se comunicar. Minha filha se envolveu bastante e o processo de gravação do áudio foi muito divertido. A rádio foi uma ótima alternativa para as crianças interagirem entre si e ao pensar nos ouvintes, interagirem também com os outros. Extravasar de forma positiva um pouco do que talvez estejam sentindo longe da escola, dos colegas e professores.”

O sentido deste projeto foi além do que se aguardava, uma vez que aconteceu em um momento diferenciado e único. Mobilizar os alunos virtualmente e fazê-los compartilhar do conhecimento requer mais do que criatividade, inclui acreditar que o potencial não está isolado, não respeita regras de confinamento. É importante pensar a vida acadêmica sob um prisma inovador sem deixar de ser acolhedor.

“A Rádio Atividade foi incrível e muito especial para mim por ter trabalhado junto com meus colegas virtualmente”, afirmou, sem hesitar, Camila Shimoda Shinkai, 10. Não disse?!

Tudo o que sabemos sobre:

Colégio Santa Maria

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: