Sharing, caring and loving (compartilhar, cuidar e amar)

Sharing, caring and loving (compartilhar, cuidar e amar)

COLÉGIO SANTA MARIA

06 de novembro de 2020 | 07h00

Autoria – Mary Carmen Monreal

Em nenhum outro momento ouviu-se tanto o verbo “compartilhar”.  Ao encerrarmos mais um mês de aulas, reuniões, encontros, sessões e palestras online, percebemos que as pessoas estão constantemente compartilhando telas, materiais, links e sites no intuito de buscarem proximidade e precisão na troca de informações com seus pares e assim estabelecerem a comunicação que parece não ter rosto.

A voz passou a ser o nosso toque em tempos de distanciamento, e quando alunos abrem suas câmeras e compartilham suas faces, a comoção é tanta que é possível enxergar o colorido especial e sentir o aroma vindos de diferentes pontos da cidade. Estamos juntos, mas tão separados e buscando razões comuns para nos unirmos, e o que nos une num contexto educacional é a construção do conhecimento.

Se pensarmos que o conhecimento é uma árvore e “compartilhar” é o elemento água necessário para o crescimento da árvore, percebemos que cada um de nós pode contribuir com um pouco da sua água para que essa construção aconteça.

A proposta que lancei do miniprojeto Sharing, caring and loving nas aulas de inglês das três séries do Ensino Médio do Santa Maria teve como principal objetivo solicitar que alunos compartilhassem algum assunto de muita estima, para que outros pudessem aprender mais através dessa polinização de ideias.  O compartilhar foi tão amplo e mágico que pouco a pouco, ao longo das apresentações, pudemos observar e sentir que todos (as) temos a nossa parcela de água para o crescimento da árvore.

Compartilhar é multiplicar, e esse espalhar de sementes nos faz mais ricos, garante certa produtividade, perpetuação de ideias e frutos resistentes.

Muitas das apresentações dos alunos, que variaram de tipos de música, filmes, lugares visitados, esportes até pessoas essenciais, foram inspiradoras, e sabemos que novos movimentos têm início em inspirações.

Em tempos de distanciamento, perceber que aquilo que sei pode ser meu, seu, nosso, traz sensações de bem-estar e desenvolvimento. Acredito que os alunos, assim como eu, estamos saindo dessas experiências de compartilhamento mais conscientes, respeitosos e alimentados.  O pequeno pedaço do seu bolo pode ser a refeição do outro.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: