Rodas de conversa: possibilidade de reconhecimento

Colégio Santa Maria

07 Abril 2017 | 07h30

Autoria: Roberta Edo

 

Jovens sentados em círculo no pátio da escola, em horário de aula, conversando sobre: o filme que mais o fez chorar, a maior demonstração de amizade que recebeu ou ainda qual situação que despertou  o maior medo que já sentiu, entre outras tantas questões. Essa roda de conversa aconteceu em cada turma da 1ª série do Ensino Médio do Colégio Santa Maria com o propósito de promover, intencionalmente, o reconhecimento dos outros colegas, que são, ao mesmo tempo, tão próximos fisicamente e tão aparentemente distantes nas vicissitudes da vida.

A Roda de Conversa é uma metodologia que promove o diálogo, a partir das riquezas e repertórios que cada pessoa possui sobre determinado assunto. Sua característica permite que os participantes expressem, concomitantemente, suas impressões, opiniões e concepções sobre o tema colocado, assim como permite trabalhar reflexivamente as manifestações apresentadas pelo grupo. Para iniciar esse diálogo, utilizamos como instrumento o jogo “Puxa conversa” que, dependendo do objetivo, pode favorecer uma reflexão existencial, de autoconhecimento e reconhecimento do outro no seu modo de pensar, de sentir e de viver.

Ainda hoje, vivemos numa cultura de aparências, ou seja, há necessidade de mostrar aos outros o corpo perfeito, a felicidade, a saúde, a alegria, a estabilidade e, até, uma pseudonormalidade. Nesse caminho, momentos como esses criam a aproximação entre os colegas no sentido mais patente, porém velado, da percepção que todo ser humano passa por situações adversas, crises de identidade, conflitos relacionais, questionamento do seu projeto de vida. Na verdade, isso é viver. E nesse constante movimento de reconhecimento do outro como igual e diferente, fecunda a  compaixão, a solidariedade e a alteridade. Como nos lembra a música Epitáfio: Queria ter aceitado as pessoas como elas são. Cada um sabe a alegria e a dor que traz no coração.”