Quando as famílias integram a comunidade de aprendizagem

Quando as famílias integram a comunidade de aprendizagem

COLÉGIO SANTA MARIA

11 de dezembro de 2019 | 09h12

Autoria: Eliane Lima

Acredito que o início desta nossa conversa deva passar pela reflexão a respeito do conceito “Comunidade de Aprendizagem”. O que isso significa? Qual a relação com a afetividade, com a formação de saberes e interações colaborativas? Depois, trazer para o diálogo as famílias e a importância delas neste contexto educativo, dialógico e de troca de experiências.

Quando falamos em comunidade, pensamos em comunhão, identidade, pessoas que partilham cultura, história, saberes e interações sociais. Pois bem, comunidade de aprendizagem são todos estes aspectos mencionados e, em especial, a aprendizagem dialógica, aprendizagem fundamentada na premissa que a interação e o diálogo são ferramentas essenciais para a construção do conhecimento, o estreitamento das relações de empatia e a valorização da integralidade da criança, dos jovens e dos adultos.

Aprendizagem que acontece nos diálogos que são igualitários, nas interações em que se reconhece o valor da troca (aumenta a formação de saberes), da diversificação de interações e da transformação dos sujeitos e espaços.

O foco desta proposta está na escola que interage com a comunidade e as famílias em diferentes contextos, criando sentido nas relações de parceria, nas relações democráticas, e onde as diferenças e limitações não são impeditivos para a aprendizagem, mas sim oportunidades de se desenvolver um olhar voltado para a singularidade, a subjetividade (da criança) e para a compreensão da importância da convivência e das atitudes solidárias. Favorecendo, assim, a criação de sentido pessoal e social, e de que a igualdade e a diferença são valores compatíveis e enriquecedores.

Valores que cultivamos no cotidiano da Educação Infantil do Colégio Santa Maria. Relações afetivas, de autonomia e autoria que convidam crianças e adultos a desenvolverem postura acolhedora, de escuta e de preocupação em conhecer o pensamento de cada sujeito que habita os espaços da escola.

Convites que fazemos às famílias para entrarem nestes territórios escolares, ocuparem lugares de “ensinantes – aprendentes” com a intenção de ampliarmos as interações, os saberes e o intercâmbio de conhecimentos. Compartilharmos vozes e a participação de todos!

Nutrirmos um tempo de aprendizado diversificado onde as ações das famílias promovem o aumento do desempenho acadêmico das crianças, desempenho que envolve não apenas as aprendizagens formais, mas sim a que é essencial na primeira infância, uma educação do “afeto que afeta” as aprendizagens e promove o encantamento pelo conhecimento e pelas relações de respeito, tolerância e empatia.

Espaços de troca, acolhimento e pertencimento que transformaram os muros do Colégio em pontes, pontes repletas de sentido, significado e de aprendizagens “com-par-trilhadas”.

Agradecemos às famílias por fazerem parte da comunidade de aprendizagem do Colégio Santa Maria!


Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: