Páscoa, tempo de renovar a esperança!

COLÉGIO SANTA MARIA

08 de abril de 2021 | 07h00

Autoria: Anna Paula Dutra Rodrigues

A Páscoa é uma data muito especial, e este ano, mais uma vez, não celebramos como de costume, com a família toda reunida. Os alunos do 2º ano do Colégio Santa Maria celebraram essa data de uma forma diferente.

Na aula de Ensino Religioso, as crianças puderam pensar sobre o verdadeiro significado da Páscoa conversando sobre os símbolos que a representam. Acompanhadas da família, assistiram ao vídeo que contou a história de Jesus. Em seguida refletiram e compartilharam com o grupo suas ideias. “Jesus foi crucificado na cruz, mas ela está hoje vazia porque ele ressuscitou. Ele morreu e voltou à vida! Jesus não deveria ter sido pregado porque ele não fez nenhum mal”, comentou Pedro Carli. “A Páscoa é uma data religiosa e os ovos de chocolate não são importantes”, completou Maria Luíza Antonelli.

Na sequência, junto com os familiares, escreveram em um pedaço de papel seus desejos para o momento que estamos vivendo. E esse papel se transformou em uma dobradura de borboleta, representando a mudança tão desejada.

Alguns pais compartilharam seus depoimentos sobre a experiência: “Muito bom poder estarmos juntos para falar em algo como a Páscoa, que só faz sentido no coletivo. Esse ano a Páscoa tem sua importância intensificada pelos muitos paralelos com a realidade atual. Precisamos, mais do que de costume, ter fé na renovação, no recomeço e na força da vida. Precisamos também olhar para nossos irmãos, em especial os que estão vivendo as maiores dificuldades e nos amparar. Ter esse momento para celebrar a Páscoa com todas as crianças e famílias foi algo muito especial e inspirador. Somos muito gratos por essa vivência” – Maria e Ricardo, pais do Pedro Veloso.

“Nós não estamos sozinhos! Acho que foi essa mensagem de Jesus, ele teve a oportunidade de se corromper e abandonar a sua fé para salvar a própria pele, mas não o fez, justamente para deixar claro que não devemos nunca abandonar a nossa esperança e que não estamos sozinhos, dependemos uns dos outros. Temos que formar a nossa egrégora do bem e deixar um mundo melhor para os nossos filhos.  Foi muito importante a escola propor esse momento com a família, os colegas e professora para as crianças se sentirem abraçadas, acolhidas e sabendo que existem pessoas queridas que cuidam delas” – Adriana, mãe do Leon Chasseraux

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.