Participação das famílias nas atividades online

Participação das famílias nas atividades online

Colégio Santa Maria

08 de julho de 2020 | 07h00

Autoria:  Gisele Coli

Casa é sinônimo de lar e morada, lugar de descanso, privacidade e de família por perto. Agora, mais do que nunca, com o isolamento social, essa casa se torna abrigo e proteção, lugar de trabalho e estudo, e o que antes era um espaço de convivência por algumas horas, hoje, são 24horas.

Durante o período da quarentena, a rotina diária se desestruturou e tudo mudou. O ensino presencial se fez virtual, o ser humano, com o poder de adaptação, ressignificou seu papel em uma nova configuração.

Vejam nesses relatos a realidade de duas famílias que, por nosso pedido, se prontificaram a contar sobre seus olhares e suas verdades:

“A meu ver, as atividades online são para as crianças manterem um vínculo com a professora e a escola. Aqui em casa, com o Pietro, procuro executar as atividades de maneira bem lúdica e atrativa, respeitando sempre o tempo dele. As crianças, principalmente nessa faixa etária, não vão se envolver em propostas como se estivessem na escola. Elas estão em casa com a rotina toda alterada. Para mim, mais importante é que ele continue fazendo as suas descobertas, brincando e explorando!” – Juliana Olinto, mãe do Pietro (Jardim II)

“Valorizamos demais o esforço da escola de manter o contato com nossa filha de 4 anos. Temos dois filhos mais velhos, uma no 3º ano e outro no 6º, e o acompanhamento da Helena (Jardim II) é bastante diferente: enquanto os mais velhos precisam de acompanhamento mais ligado aos conteúdos das disciplinas e áreas do conhecimento, o foco na nossa pequena é mais na interação com a professora e com os colegas. Achamos que o vínculo com o grupo é o principal a ser preservado. Ainda mais porque não temos pretensão nenhuma de substituir o professor, então acompanhamos as atividades propostas dentro das nossas possibilidades e sem nos cobrar muito. A gente também percebe que para a Helena esse vínculo é bastante importante. É claro que ela se empolga e se sente importante (acho que se espelha nos irmãos) quando eu digo que vai ter aula online e faz as atividades propostas com prazer, mas é visível que o que ela mais aprecia é interagir nas lives com a professora e os colegas.”

Camila Pamplona, mão do Daniel (6º ano), da Olívia (3º ano) e da Helena (Jardim II).

Todos unidos em prol do desenvolvimento das crianças proporcionando experiências e possibilidades, para que muito em breve possamos matar as saudades e nos reencontrar no Santa Maria com amor no coração e felicidade.

Termino este texto com fé e esperança, agradeço a todas as famílias pela parceria e confiança.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Tudo o que sabemos sobre:

Colégio Santa Maria

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: