O olhar despercebido, o instante que passa

O olhar despercebido, o instante que passa

COLÉGIO SANTA MARIA

17 de novembro de 2020 | 07h00

Autoria – Daniela Caltran

A Arte sempre envolve pessoas com as suas narrativas, instigando o olhar singular em contraponto com o real ou com a ilusão do real. Nesse tempo incógnito, o nosso olhar e espaços foram redimensionados. Tivemos o sentido da docência revisitado em todos os instantes.

Como transgredir à tela virtual e atingir com afeto o nosso estudante do 7º ano do Santa Maria?  Considerando o universo reduzido e restrito ao espaço doméstico, criar e recriar interfaces conectivas e afetivas foi o grande desafio para o componente curricular Artes Visuais.

Reinterpretando espaços coletivos e individuais, a linguagem fotográfica foi a escolha curricular que aproximou os alunos de suas questões mais íntimas. A paisagem doméstica transformou-se, mediando os saberes das artes e criando proposições imagéticas intencionais.

Os alunos observaram detalhes não percebidos no cotidiano: formas inusitadas, a luz penetrando nos ambientes e definindo objetos. O mistério envolvendo a imagem e seu significado.

O aluno torna-se fotógrafo com olhar refinado: cantos e recantos afetivos de um ambiente conhecido/despercebido, presente/ausente, organizado/disforme. Assim a imagem se fez presente, indicando registros e percepções angulares.

A poética singular se materializou sob outras perspectivas e proposições imagéticas em nuances intimista e intencional, integrando a área de linguagens e códigos do 7º ano, por meio de composições extremamente sensíveis, mostrando um outro lado adolescente.

   

 

 

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: