O isolamento e a paisagem

COLÉGIO SANTA MARIA

15 de maio de 2020 | 08h08

Autoria – Fernando Uesato

 

Uma das principais categorias de análise da Geografia é a paisagem. Isto porque este recorte analítico explicita a forma pela qual as relações sociais (e tudo aquilo que elas abrangem) ocorrem em nosso mundo. A paisagem, então, evidencia os processos de transformações do mundo moderno, ou seja, a própria dinâmica do Espaço Geográfico.

 

Contudo, por conta de nosso cotidiano cada vez mais acelerado, pouco tempo temos para nos deter e observar o ambiente que nos rodeia. São tantos os compromissos e afazeres, que mal percebemos as formas que moldam o horizonte ou mesmo o movimento do cotidiano em que estamos inseridos. A vida parece tão agitada que até o que está à nossa frente passa despercebido em meio a esse turbilhão de compromissos que constituem nosso dia a dia.

 

Eis que, subitamente, acontece uma ruptura dessa dinâmica que nos força a parar e faz com que possamos voltar a notar o movimento da cidade. Claro que essa condição não é para todos, afinal, muitos ficaram mais sobrecarregados de compromissos. No entanto, para uma parcela significativa da população, essa ruptura possibilitou um processo de distanciamento entre o observador e a paisagem, o que liberou tempo para sua análise e para a formulação de algumas questões: Por que não observávamos a paisagem antes? O que nos impedia? O que a fez mudar? Entre outras perguntas.

 

No Curso de Geografia do Ensino Médio do Colégio Santa Maria, buscamos sempre trazer as indagações presentes na sociedade para a sala de aula. Neste momento de tantas dúvidas que atingem nossa sociedade, procuramos compreender melhor o Espaço Geográfico em que estamos inseridos e, assim, explorar com os estudantes os caminhos a serem percorridos para a construção de um mundo melhor.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: