O ensino coletivo do violão como instrumento de musicalização

O ensino coletivo do violão como instrumento de musicalização

Colégio Santa Maria

02 Agosto 2016 | 07h30

Autoria: Alessandro de Lima

No aprendizado de um curso coletivo de violão, podemos destacar alguns pontos essenciais: desenvolvimento do ritmo através de exercícios e da coordenação motora;  conhecimento das cifras e tipos de acompanhamentos rítmicos (batidas da mão direita); desenvolvimento do canto acompanhado da melodia das músicas através da tablatura; iniciação à partitura; formação de um repertório popular e eclético, com vários estilos musicais; o trabalho em equipe realizado nas apresentações.

O aprendizado de um instrumento como o violão necessita de um repertório específico,  em que cada música passada tem a finalidade de desenvolver a aplicação da técnica de troca de acordes com a mão esquerda, sincronizadas com as batidas rítmicas da mão direita. Para que determinados movimentos se desenvolvam com mais facilidade e nitidez sonora, é necessária a prática diária do aluno. Cada exercício dado em aula está direcionado para um desenvolvimento evolutivo, e é muito importante não deixar de praticar “todas” as músicas do repertório.

Para que o aluno se encante com o instrumento, precisa logo perceber que é capaz de tocar uma música e se ela for popular brasileira, então, é sucesso em família.

Os alunos da turma de iniciantes que são de 4º e 5º ano do Fundamental I do Santa Maria, por exemplo, são atraídos tocando Te ver (Skank), Flores (Titãs), La Bella Luna (versão Paralamas do Sucesso), Luar do Sertão (domínio popular), “ Pra Não dizer que não falei das flores”(Geraldo Vandré), que têm dois acordes adaptados que se repetem. Esta aprendizagem, além de proporcionar o desenvolvimento da musicalidade nos alunos, favorece o enriquecimento cultural ao conhecerem em que contexto histórico nossas músicas foram criadas.

Gradativamente, outros acordes vão sendo trabalhados em níveis diferentes com alunos até o Ensino Médio. Ao longo dos anos de experiência, tenho visto vários alunos se aprimorando e obtendo resultados positivos no que diz respeito à melhoria da socialização, assim como na liderança em grupos de convívio após terem incorporado a prática de tocar violão.

O violão também serve como “válvula de escape”, após longas horas de estudo acadêmico e  promove momentos de reflexão.

No final do ano, fazemos uma apresentação com a orquestra de violões, formada por todos os níveis de aprendizagem. Os grupos escolhem junto com o professor o tema e as músicas que irão tocar. Com isso pensado, os iniciantes fazem a base da música e os arranjos são feitos por alunos de outros níveis (intermediários e avançados).

Acredito que o “brincar” com o instrumento é parte fundamental para que os alunos estejam incentivados e façam a descoberta de que o resultado de seu esforço aparece naquilo que somente ele produz, o fazer musical.

0208_d5 0208_DQ