O dançar e seus ritmos: os desafios do movimento da dança no Jardim II

O dançar e seus ritmos: os desafios do movimento da dança no Jardim II

COLÉGIO SANTA MARIA

16 de janeiro de 2019 | 07h30

Autoria: Fernanda Miura

 

“Te convido a dançar de um jeito que ninguém sabe, sem sonhar com os pés no chão. Entregue-se àquilo que te faz sentir. Entregue-se àquilo que te faz sonhar. Dance…” . Essa foi uma paródia à música “Entregue-se” da cantora Tiê.

 

A dança durante o ano fez a turma do Jardim II D do Colégio Santa Maria sonhar com os pés no chão. E foi com movimento, ao som da natureza e das muitas músicas, da vibração dos sons ouvimos, que resolvemos criar, coreografar e deixar o corpo se movimentar.

 

Veja uma das atividades de sensibilização da escuta no link a seguir: https://www.youtube.com/watch?v=6y2xj8C9Ur4&feature=youtu.be

 

Mediar as descobertas das crianças foi como reger uma música enquanto seus sonhos, suas perguntas, suas curiosidades criaram ritmo e movimento.

 

“A dança é a linguagem escondida da alma. Ninguém se preocupa com sua capacidade de dançar bem. Levante-se e dance. Os grandes bailarinos são excelentes graças à sua paixão” – Martha Graham, uma dançarina e coreógrafa que inventou uma nova linguagem de movimento usada para revelar sua paixão e sentimentos humanos.

Ao som de Sebastian Bach,  as crianças, muito concentradas, sentiram a música, experimentaram movimentos e montaram sua própria coreografia, simbolizando a pesquisa que fizemos acerca do som.

 

Em seguida, com ajuda da Teacher Bianca, nossa professora de inglês, conheceram a letra da banda The Beatles chamada “Here Comes The Sun”, que passou a representar nossa pesquisa sobre o astro Sol, e através dos movimentos do corpo expressaram o que o sol simboliza na vida deles.

 

Sensíveis à música de Carmina Burana do poema O Fortuna, musicada por Carl Off, um grande compositor do século XX,  imbuídos da liberdade que têm em se expressar, começaram a gesticular, cada um da sua forma, com a vibração do som, a explosão de um grande vulcão.

 

Experimentos movimentos

Para finalizar e concluir nossos projetos de pesquisas, o grupo da Educação Infantil, orientado por Karine Ramos, doutoranda em educação, resolveu montar um espetáculo de dança que se chamou “Dançarte”. Essa escolha potencializou as pesquisas feitas ao longo do ano por todas as turmas, pois evidenciou, através do corpo, do movimento, da música e do ritmo, tudo que as crianças aprenderam ao longo do ano.

 

Segundo Fernanda de Souza Almeida, pesquisadora na área da educação, a dança é uma importante fonte de prazer, autoconhecimento e sociabilidade, proporciona a construção de novas possibilidades expressivas. Assim, conforme aprendem a explorar os movimentos, enriquecem seu potencial expressivo.

 

Na perspectiva do que aprenderam e do que escolheram para representar, montamos uma coreografia que expressou de forma intensa o significado que o projeto de pesquisa da turma do Jardim II D teve ao longo do ano.

 

A composição da dança e das músicas da apresentação pode nos levar um pouquinho ao lugar tão cheio de emoções que as crianças percorreram ao longo da construção deste espetáculo. Vista os sapatos de nossos alunos e alunas e assista à apresentação dessa turma, que foi só um pedacinho de todo o evento “Dançarte” da Educação Infantil.

Foi emocionante!

Link da apresentação do Jardim II D no Dançarte: https://youtu.be/TDG8BUgOIMs