O aprendizado do espanhol por meio dos livros paradidáticos

COLÉGIO SANTA MARIA

26 Dezembro 2016 | 07h30

Autoria: Silvia Esteves

É hora de comemorar o final do ano letivo que marcou a inserção da língua espanhola no currículo do 7º ano do Fundamental II do Colégio Santa Maria. Pode-se dizer que, apesar de recentemente implementado, o espanhol tem trilhado um caminho positivo na construção de saberes. Isso é possível ser visto pelo frequente envolvimento nos projetos de séries, e nos eventos anuais do Colégio. Não é incomum ver alunos imbuídos em trabalhos bimestrais em que tenham que produzir vídeos, cartazes e ensaios teatrais com trechos em língua espanhola.

Ao longo do ano, os alunos têm a oportunidade de entrar mais em contato com este idioma por meio da adoção de livros paradidáticos. Ao lê-los, eles se aproximam não somente de uma abrangência mais rica do universo linguístico, mas do aspecto cultural. São disponibilizadas leituras para que o aluno conheça melhor particularidades de uma determinada região, sua gastronomia e até a sua geografia. No primeiro semestre do 9º ano, por exemplo, os alunos leram uma adaptação do filme argentino intitulado Un Cuento Chino (Um Conto Chinês), estrelado pelo renomado ator argentino Roberto Dario.  Nela, os alunos se aproximaram da vida cotidiana de um portenho cuja vida é totalmente revirada com a chegada de um imigrante chinês. Além da trama da história, os alunos conseguiram identificar aspectos particulares do espanhol argentino, podendo, assim, compará-lo com características padrões da língua espanhola falada em outras regiões do mundo.

No segundo semestre, os alunos leram um livro também adaptado de um documentário chamado Tocando el Vacío (Tocando o vazio), livro assinado por Joe Simon. A história é baseada num acidente verídico ocorrido nos Andes peruanos por dois alpinistas britânicos que se aventuram em escalar o pico mais alto desta região chamado Siula Grande.  Antes da introdução da leitura, há uma conversa inicial em sala de aula sobre outros incidentes envolvendo pessoas em condições de luta pela sobrevivência, como foi o conhecido caso da queda do avião uruguaio na fronteira montanhosa dos Andes, entre Argentina e Chile, no ano de 1972 – lamentável coincidência com o caso da queda do avião da equipe chapecoense em terras hispânicas, precisamente na região de Medelín, na Colômbia. Estas histórias imprimem no aluno um laço ainda mais estreito entre o Brasil e os demais países da América Latina, e, sobretudo, transfere-lhe a necessidade do aprendizado da língua espanhola na comunicação com esses povos vizinhos tão cheios de cultura e tradições, muitas vezes esquecidos por nós brasileiros.

 

Mais conteúdo sobre:

Colégio Santa Maria