Natureza, arte e linhas orgânicas

Natureza, arte e linhas orgânicas

COLÉGIO SANTA MARIA

17 de abril de 2019 | 09h56

Autoria: Cibele Duarte

 

Para que as crianças possam conhecer sobre as coisas do mundo, não há outra forma senão explorar o mundo. Antes do pensamento, há os sentidos, e essa percepção sobre o conhecer podemos chamar de interpretação!

Na Educação Infantil do Santa Maria, interpretando a curiosidade e o encantamento do grupo pelos diversos elementos da natureza, planejamos um grande propósito: promover situações em que as crianças pudessem interpretar e sentir as possibilidades da natureza e interagir com ela, por meio de diferentes linguagens.

Em nosso ateliê dos Girassóis, as crianças puderam sentir, observar e analisar esse tipo de flor, sua forma, cor, cheiro e textura. A predisposição e alegria do grupo em investigar o girassol com todos os seus sentidos foram ferramentas valiosas na construção de novos conhecimentos.

O grande pensador Dewey nos transmite muitas inspirações, dentre elas a ideia de que a única diferença entre o artista e o cientista está na forma como abordam o mundo: A diferença entre o estético e o intelectual está, portanto, nos locais onde se dá ênfase no constante ritmo que marca a interação da criatura com seus arredores.   

Com isso, podemos considerar que o mundo e seus elementos naturais é um grande laboratório para ampliar o pensamento científico e imaginário, que são operações mentais fundamentais no desenvolvimento infantil. Explorando o mundo, nosso grande laboratório, recolhemos outros tipos de flores e elementos da natureza em nossos jardins. Quando apresentei o Ateliê de Luz e Sombra, o encantamento contagiou a todos. Com a luz e as sombras projetadas, cada um tinha sua própria descoberta a realizar. Ao manusear e observar os materiais, descreviam seu raciocínio e descobertas individuais.

E quem diria que gravetos, sementes, flores e folhas secas trariam tantas provocações… O grupo do Pré pode descobrir que os elementos da natureza são mais do que parecem. As crianças perceberam que em sua essência há uma grande potência para aprender, pois tiveram a liberdade de imaginar e criar!