Memórias de escola

COLÉGIO SANTA MARIA

09 de novembro de 2020 | 07h00

Autoria – Melissa Ferronato e Renata Pozzetti

Quem não se emociona ao folhear um álbum de fotos? Talvez os álbuns fotográficos físicos sejam cada vez mais raros nos núcleos familiares, mas as inúmeras fotos tiradas com os dispositivos eletrônicos, sempre em nossas mãos, compõem nossa memória e servem como um gatilho para disparar em nós emoções relacionadas a um passado esquecido, às vezes até meio enferrujado pelo tempo.

E foi por meio de arquivos fotográficos que as turmas de 6º ano do Santa Maria buscaram relatar as experiências mais afetivas relacionadas ao espaço escolar. Em um momento histórico em que as escolas estão fechadas há mais de seis meses, foi bastante especial poder relembrar episódios que ocupam um lugar especial na memória afetiva de cada um.

Repensar o significado deste espaço que acolhe diariamente tantas crianças e jovens.  Que falta nos faz! E que saudade da convivência com os amigos, professores, das brincadeiras, das aprendizagens, da troca de saberes. Muitos sentimentos envolvem esse percurso, e muitas pessoas fazem parte desse processo de construção de uma escola, que se faz por meio das relações humanas que mediam os saberes.

Essa foi a proposta lançada aos alunos, que estudaram as características marcantes de um relato pessoal por meio da leitura de textos como Banhos de mar e Cem anos de perdão, ambos da escritora Clarice Lispector. A leitura compartilhada desses textos nas salas virtuais abriu caminho para discussões mais aprofundadas sobre a linguagem literária da autora e serviu como inspiração para que cada um pudesse escrever seu relato.

Os alunos também leram trecho do clássico francês Em busca do tempo perdido, onde o autor Marcel Proust conta como um simples gesto de mergulhar as madeleines em uma xícara de chá e levá-las à boca ativou em sua memória um sentimento de infância esquecido por ele na vida adulta; assim como aconteceu com o crítico gastronômico da animação Ratattouile, cujo sabor do prato típico francês também ativou sua memória e trouxe de volta sensações de um passado longínquo.

Contribuindo de maneira especial, os professores de Educação Física e Inglês gravaram uma videoaula cada um, levando os alunos a um tour virtual pelos espaços do Santa Maria.

O resultado dessa proposta foram textos repletos de carinho relacionados aos mais diferentes episódios vividos na escola: o primeiro dia de aula, as festas juninas, as práticas esportivas, as apresentações de música, de circo, de teatro, as exposições, os passeios, os primeiros “Ds”, o sabor das primeiras vitórias nos torneios de xadrez…

Clique abaixo para ver os relatos de dois alunos.

Documento

Documento

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.