Matemática divertida  

Matemática divertida  

COLÉGIO SANTA MARIA

04 de março de 2020 | 07h30

Autoria: Fabiana Miranda e Luis Carlos Carvalho

 

A diversão em favor de uma aprendizagem significativa e de maneira lúdica tem valores educacionais intrínsecos, assim a utilização deste recurso nas aulas é uma excelente alternativa para desenvolver a capacidade dos alunos de atuarem como sujeitos na construção de seus conhecimentos, auxiliando-os no desenvolvimento do pensar matemático, da criatividade e da concentração.

Nas aulas de Matemática do 6º ano do Santa Maria, foram desenvolvidas oficinas com cinco estações, contemplando desafios e jogos on-line. Em grupos de seis, os alunos passavam por todas elas. Cada uma tinha por finalidade resgatar objetos do conhecimento matemático fundamentais: tabuada, operações fundamentais com números naturais, arredondamento numérico e estimativas, consolidando os conceitos já desenvolvidos.

A aprendizagem em grupos aliada à ludicidade oportuniza um ensino livre e espontâneo, gerando alegria e descontração, desenvolve a cooperação, empatia, a capacidade de elaborar hipóteses, resolver problemas, descobrir soluções, estabelecer relações, além de propiciar ricos momentos de trocas e discussões. É notório que uma aprendizagem significativa possibilita o desencadeamento de diversas atitudes voltadas para o conhecimento e o desenvolvimento de valores e atitudes.

Veja a opinião de alguns alunos sobre as oficinas:

“Os jogos educativos que jogamos são muito divertidos, mas prefiro os que envolvem competição, pois queremos sempre ganhar e dessa forma ficamos mais envolvidos, e nem percebemos que estamos estudando. Esses jogos estimularam a classe a pensar rápido nas quatro operações básicas (adição, subtração, multiplicação e divisão) e também melhorar o arredondamento numérico” – Olívia Bottini

“…Eu sei que essa aula foi a primeira diferente, e eu espero não seja a última porque amei! É diferente, descontraída, um jeito dos alunos se interessarem pela matéria” – Maria Clara Brito Martins

“Jogos! Nem sempre pensamos que jogos é uma maneira de estudar e aprender, e sim de se divertir. Imagina que em uma aula de matemática os professores desta matéria conseguiram juntar as duas coisas. Os alunos ficaram muito felizes porque, além de serem jogos divertidos, ainda eram no computador. Havia cinco estações, a primeira era mais complexa tinha perguntas de diversas operações; a estratégia que eu utilizei foi o arredondamento, que foi revisado novamente nas aulas de matemática. Em uma das estações, tinha o jogo do Pac Man e você precisava saber a tabuada na ponta da língua, e utilizar estratégias para fugir dos fantasminhas. Eu amei esta atividade dinâmica que fizemos, deu uma descontraída na aula, foi super divertida e ensinou a lição de que jogos são divertidos e nos trazem aprendizados. Obrigada, professores de matemática, por nos proporcionar isto” – Helena Bachmann

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: