Leonardo da Vinci e seu supercérebro

Leonardo da Vinci e seu supercérebro

COLÉGIO SANTA MARIA

23 de setembro de 2019 | 07h30

Autoria: Melissa Ferronato e Ariete Fernandes

Há 500 anos morria Leonardo da Vinci, um dos maiores gênios que a humanidade conheceu.  Além das famosas pinturas como Mona Lisa, que hoje encontra-se no museu do Louvre em Paris, e A última Ceia, única obra de Leonardo que continua no mesmo local onde foi feita, na parede do refeitório do convento Santa Maria delle Grazie, em Milão, o artista explorou com maestria muitas outras áreas do saber, como arquitetura e urbanismo, engenharia, matemática, música, hidráulica e anatomia, que ratificaram sua genialidade. Atualmente, Da Vinci é celebrado mundo afora com exposições que buscam reproduzir parte de suas invenções, que levaram anos para sair do papel, de tão avançadas que eram para sua época.

Envoltos em clima de criatividade, os alunos do 6º ano do Santa Maria leram a obra Leonardo da Vinci e seu supercérebro, de Michael Cox, uma biografia recheada de bom humor que inicia na aldeia de Vinci, próxima a Florença, passando por todas as fases da vida de Leo, como é chamado intimamente ao longo do livro.

Criando essa proximidade com o leitor, a linguagem utilizada convida a uma imersão na Renascença, período em que os avanços no campo artístico e científico caminhavam juntos nas cidades marcadas pela sujeira e violência. Os alunos puderam saber que, além de toda a sua produção artística e científica,  o gênio possuía costumes bem peculiares, como ser vegetariano, dissecar cadáveres para estudar com precisão o desenho dos músculos e órgãos do corpo humano e estar sempre junto a seus cadernos onde anotava absolutamente tudo, das listas de compras para preparo de seu minestrone, sopa de legumes com feijão, aos desenhos de cenas instigantes como brigas que via pelas ruas de Florença.

Finalizada a leitura, discutimos passagens do livro, buscando características mais marcantes na opinião de cada um. Também atentamos para os   diversos gêneros textuais explorados pelo autor nessa biografia: história em quadrinhos, carta, notícia de jornal, manual de instruções e diário.

Após a leitura completa da obra, os alunos dramatizaram passagens da biografia com foco em uma determinada fase da vida de Leo. Eles criaram roteiro, pensaram no cenário e figurino e, sem perder o bom humor, apresentaram com muito envolvimento suas pequenas cenas teatrais.

Assim, através da história do grande gênio da humanidade, os alunos conseguiram, além do deleite de uma leitura original e bem humorada do livro, desenvolver habilidades de registro escrito, leitura e dramatização.

 

 

 

 

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: