Integração e cooperação através do desafio coletivo

Integração e cooperação através do desafio coletivo

Colégio Santa Maria

07 Agosto 2018 | 07h30

Autoria: Marcos Malaquias, Tatiana Roth e José Luiz Rodrigues

Os alunos dos cursos extracurriculares de Oficina de Esportes de 3º, 4º e 5º ano do Santa Maria participaram de um desafio coletivo em um circuito de habilidades. O objetivo era que todos os alunos dos diferentes grupos pudessem cumprir todas as etapas, algumas com mais dificuldades e outras com menos, de acordo com a faixa etária e seu próprio desenvolvimento. Todas as propostas nas diferentes estações deveriam ser desenvolvidas de maneira cooperativa entre os participantes.

Foram criadas oito estações, contendo as seguintes habilidades: arremessar, chutar, lançar, saltar e escalar, além das capacidades físicas de força, velocidade, equilíbrio, agilidade, coordenação motora. As equipes foram compostas de forma equilibrada com o mesmo número de alunos de cada ano.

A maior dificuldade na elaboração das atividades se encontrava em proporcionar estações desafiadoras, prazerosas, divertidas e por fim realizáveis por todos os alunos, sem proporcionar a  exclusão seletiva de qualquer um deles. Dificuldade que foi sanada através da psicomotricidade, de um estímulo onde corpo, mente e emoção deveriam agir para motivar, alegrar e automaticamente fazer com que os alunos se ajudassem para um fim comum, que era o de cumpri-las.

Duas regras básicas fizeram o desafio se tornar psicomotor: “Todos os alunos deveriam tentar realizar as atividades em uma ordem e  as equipes teriam apenas 15 minutos para cumprir as oito estações”.

Após a explicação de como superar cada estação, iniciou-se o desafio em um ritmo alucinante e com a participação de 100% dos alunos. O mais interessante foi a verificação de como o fator tempo interferiu no resultado final do desempenho de cada aluno e, portanto, de cada equipe. Atividades que os alunos realizam normalmente com tranquilidade no cotidiano tornaram-se mais difíceis por estarem sob pressão para a sua realização, que exigiu rapidez e precisão.

O desafio foi cumprido por quase todas as equipes, perto do fim do tempo, sendo que apenas uma equipe precisou de um minuto extra. A todo tempo os mais velhos incentivaram e ajudaram os mais novos e em alguns momentos os mais novos ajudaram os mais velhos a escalar, e se equilibrar etc.

Foi uma atividade muito enriquecedora e gratificante ver alunos de diferentes idades cooperando para cumprir um objetivo em comum, principalmente no momento da avaliação em que verbalizaram o quanto apreciaram participar desta atividade.