Inglês nos tempos do coronavírus

Inglês nos tempos do coronavírus

Colégio Santa Maria

17 de abril de 2020 | 08h00

Autoria: Claudia Mendes

Quem diria que um vírus seria responsável por dar aquele empurrãozinho para que a gente entrasse de cabeça no século XXI, no que se refere às práticas pedagógicas? É fato que não é de hoje que estamos às voltas com a necessidade de nos reinventarmos, refletirmos sobre a nossa prática para atender à demanda de um aluno que é um nativo digital. Já tínhamos ouvido falar da sala de aula invertida (flipped classroom), do design thinking, da gameficação e do controverso ensino EAD, mas tudo isso acabava ficando para um futuro, que ora chegou.

Da noite para o dia, alunos e professores se viram assim: distantes. Entretanto, essa distância nos tem ensinado muito. Professores, além das diferentes metodologias, foram conhecendo novas ferramentas para auxiliá-los a transpor a distância e chegar aos seus alunos. Os alunos estão aprendendo a se organizar e entendendo melhor (e pondo em prática) o conceito de autonomia. Então nada melhor do que aproveitar esse momento e aliar duas competências preconizadas pela BNCC: o ensino da LEM (Língua Estrangeira Moderna) e o uso da tecnologia.

No Colégio Santa Maria, alunos da 1ª série do Ensino Médio foram apresentados a uma ferramenta (JAMBOARD) que possibilita a edição coletiva de um mesmo documento em tempo real. Disponibilizei em plataforma online atividades para estudo dos tempos passados (PAST TENSES) e das formas verbais USED TO/WOULD para falar sobre hábitos passados, em especial uma vídeo aula (sala de aula invertida), e marcamos um momento interativo ao vivo, a chamada “Live”. Durante essa aula ao vivo, voltamos ao assunto e os alunos puderam participar dela mais ativamente. Havia um grupo de exercícios para que pudéssemos trabalhar colaborativamente, tirando as dúvidas do grupo. Os diferentes membros do grupo assumiram posições distintas durante a aula. Um grupo escreveu as respostas, outro organizou a correção. Também disponibilizei para eles, na plataforma online, uma outra versão dos mesmos exercícios em branco para quem quisesse tentar novamente, agora sozinhos, com mais calma, juntamente com as respostas.

Ao final da atividade, o saldo foi positivo. Para o professor, foi possível ter uma evidência do progresso dos alunos, já que o documento fica registrado podendo ser arquivado em PDF ou em imagem. Para os alunos, além de uma oportunidade de aprendizado e exercício da L2, foi um momento lúdico, que priorizou a interação com os colegas e professor. Esse momento de interação, inclusive, foi além do final da aula, pois ao voltar ao documento, mais tarde no mesmo dia, notei que eles ainda o estavam editando.

Tudo o que sabemos sobre:

Colégio Santa Maria

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.