Freedom Writers

Freedom Writers

COLÉGIO SANTA MARIA

15 de abril de 2019 | 07h30

Autoria: Vera Moreno

Estamos nos despedindo do 1º bimestre. E o 2º bimestre vem chegando, trazendo novos ventos, novos prumos.

O projeto da série do 8º ano do Santa Maria tem como tema “Cultura e identidade: Qual meu papel no mundo” e como subtema “Adolescência, Diversidade e Políticas Públicas. A proposta de escrita na Língua Inglesa ligada a esse subtema especificamente é assistir ao Filme “Freedom Writers”, baseado numa história real de uma jovem professora apaixonada e engajada que começa a lecionar em uma escola pública na Califórnia.

 

A instituição de ensino tem um Projeto de Integração Inclusivo para estudantes em situação de vulnerabilidade, muitos deles fazem parte de gangs locais, expostos a todo tipo de violência, separados entre si em grupos étnicos bem marcados por intolerância e preconceito: negros, asiáticos, latinos e brancos. Miss Gruwell é rejeitada veementemente por ser branca.

 

Ela tenta abordá-los de todas as formas mas sem sucesso, até que um desenho com uma caricatura de um dos estudantes corre a classe: um negro com lábios exageradamente grandes. A professora pega o desenho e comenta sobre desenhos bem parecidos feitos por ocasião da II Guerra Mundial na Alemanha de Hitler. Judeus com narizes exageradamente grandes.

 

A professora, então, compara as gangs que os alunos fazem parte com uma gang bem mais poderosa que resolve excluir, exterminar, dizimar um povo usando diversas justificativas. Pouco a pouco, ela consegue assim chegar aos corações cansados e sofridos dos estudantes da sala 203. Dá a eles diários onde possam escrever suas histórias, suas lutas e anseios.

 

Através de jogos e diálogos, Miss G. os faz pensar, tomar consciência de que eles passam por lutas, histórias semelhantes. E esse fato os aproxima e os faz amigos. Com isso, a professora, além de aproximá-los, torna-se uma mentora, uma referência para suas vidas, dissipando as nuvens negras do preconceito e racismo.

 

O objetivo desse projeto vai além. É sim, desenvolver a escrita na Língua Inglesa através de perguntas sobre elementos da narrativa, considerando coesão, coerência e gramaticalidade. Mas não só isso. Também é para trazer consciência do preconceito ora explícito, ora velado que permeia nossas vidas.

 

Não podemos nos esquecer que a diversidade faz parte da natureza artística e criativa de Deus. Ele nos fez diferentes, coloridos, cada um com sua

particularidade. Somos únicos. E perpassa necessariamente por aquilo que Cristo nos ensinou “Novo mandamento vos dou, que vos amei uns aos outros, assim como Eu vos amei”.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.