Experimentação nas aulas de Química

Experimentação nas aulas de Química

Colégio Santa Maria

22 Julho 2016 | 07h30

Autoria: Maurício Rodrigues

Não é novidade que os jovens não se interessem pela Química e que tenham essa visão distorcida, chegando a considerar que essa ciência não faz parte de suas vidas. Dessa forma, verifica-se a necessidade da utilização de atividades alternativas para melhorar o ensino e a aprendizagem de química, com o intuito de despertar o interesse e a importância dessa disciplina.

A química é uma ciência experimental, portanto, as atividades práticas desenvolvidas no laboratório são importantes, pois, além de chamarem atenção e curiosidade, oferecem ao aluno a oportunidade de aprender, de manipular materiais e aparelhos dentro das técnicas e normas de laboratório. Tenho observado que durante a aula prática no Santa Maria, o aluno é desafiado a trabalhar em equipe, é estimulado a participar do processo de investigação, de observação, de coleta de dados, de organização dos dados por tabelas ou gráficos e de análise,  propondo uma explicação.

Ao propor um experimento, o professor deve tomar o cuidado de não tornar a atividade uma simples reprodução do procedimento experimental. Deve lembrar-se que  o mais importante é que se procure trabalhar em torno de uma situação-problema, levantando  questionamentos com os alunos, provocando-os conceitualmente, com o intuito de despertarem  a curiosidade.

No final da atividade experimental, é necessário discutir-se com os alunos a importância dos cuidados do descarte e tratamento dos resíduos químicos, permitindo uma reflexão sobre as questões ambientais.

Na sala de aula, é importante que os alunos tenham a oportunidade de se colocar, de aplicar o que foi aprendido com a atividade experimental em diversas situações do cotidiano e que possam compartilhar suas ideias, pois acredito que a troca de experiências e de conhecimento é fundamental para o crescimento pessoal.

A importância da atividade experimental, portanto, está em seu papel investigativo, na função pedagógica de auxiliar o aluno na explicitação de uma questão a ser investigada, na discussão de várias linhas de raciocínio, no levantamento de hipóteses e na busca de soluções para o problema proposto, enfim, em possibilitar um aprendizado significativo do conhecimento químico.

Aprender é sempre uma experiência extraordinária, mas aprender por meio da experimentação pode também ser uma forma divertida e prazerosa de aprender a aprender.

2207 2207_IMG_20150811_113924246 2207_IMG_20150811_115217114_HDR