“Eu consigo subir sozinho…” – Rafael, 3 anos

“Eu consigo subir sozinho…” – Rafael, 3 anos

COLÉGIO SANTA MARIA

19 Outubro 2016 | 09h50

Autoria: (Gisele Coli)

“Em qualquer caso, seja como território de passagem, seja como lugar de chegada ou como espaço do acontecer, o sujeito da experiência se define não por sua atividade, mas por sua passividade, por sua receptividade, por sua disponibilidade, por sua abertura. Trata-se, porém, de uma passividade anterior à oposição entre ativo e passivo, de uma passividade feita de paixão, de padecimento, de paciência, de atenção, como uma receptividade primeira, como uma disponibilidade fundamental, como uma abertura essencial.”

Jorge Larrosa

A história de Rafael (3 anos) e seu desafio no parque.

Rafael adora brincar na casinha e neste dia começa a explorá-la de uma maneira diferente.

1910_1

Rafael explorando com seu “corpo todo” casinha do parque.

Rafael quer novos desafios e começa a tentar subir no telhado, observa, sobe na janela, desce, sobe novamente.

Subir e descer do escorregador, balançar sozinho, andar sem tropeçar exige que as crianças exercitem habilidades complexas. Precisam de equilíbrio, controle do tônus muscular, noções de espaço e esquema corporal.

Superar desafios faz parte do processo de desenvolvimento, tentar, tentar de formas diferentes, desistir, tentar novamente até alcançar o desafio.

1910_2

Eis que descobre o telhado…

E ele começa a procurar diferentes estratégias para alcançar seu objetivo.

Conversa com Matheus, que já está em cima do telhado, e o amigo sugere algumas formas:

“- Segura com as duas mãos!”, disse Matheus.

“- Eu já segurei, mas escorrega!”, respondeu Rafael.

“- Segura forte!”, ensina o amigo.

Rafael permanece segurando no telhado por alguns minutos elaborando possibilidades para alcançar seu objetivo.

Coloca os dois pés na mesma janela, um pé em cada janela, segura com as duas mãos, com uma mão só e enfim…

 

1910_3

Descobre a dificuldade de subir, escorregar, puxar, esticar…

 

Quando o desafio é alcançado, as crianças procuram novos desafios e estratégias para atingir novos objetivos.

1910_4

Mãos, pés, força e amigos para superar o grande desafio: subir e subir…

Rafael sorriu e mostrou-se satisfeito com sua conquista.

“E agora?”, pergunta a professora

“Agora é fácil, é só descer!”, diz Rafael

As crianças diariamente buscam novas possibilidades e desafios e, geralmente, são conquistados a partir das experiências com o próprio corpo, sendo esse corpo o primeiro “objeto” para a exploração e a brincadeira.

Rafael procurou maneiras diferentes para resolver seu “problema” em relação ao desafio motor e até sentir-se satisfeito, testou diversas possibilidades.

1910_5

A conquista!

Mais conteúdo sobre:

Colégio Santa Maria