Encontro com a escritora Elisabeth Loibl misturou História e Literatura

Encontro com a escritora Elisabeth Loibl misturou História e Literatura

COLÉGIO SANTA MARIA

05 de outubro de 2020 | 07h30

Autoria – Rodrigo Colson Valente e Rita De Cássia Cereser Sogi

O adolescente brasileiro Rodolfo Otto Loibl foi testemunha ocular da História do século XX ao vivenciar a 2ª Guerra Mundial em plena Alemanha Nazista. Filho de alemães que migraram para o Brasil após a derrota na 1ª Guerra, sua família decide retornar à pátria de origem quando um novo conflito mundial se aproximava, por conta da intensa e eficiente propaganda nazista que naquele momento ascendia a uma nova e grandiosa Alemanha.

A história de Rodolfo é contada por sua irmã, a escritora Elisabeth Loibl, no livro Memórias de um Adolescente Brasileiro na Alemanha Nazista, obra que fora trabalhada pelos componentes Língua Portuguesa e História como leitura de férias dos alunos do 9º ano do Santa Maria. Por mesclar de forma competente e acessível Literatura e História, o livro é privilegiado para um aprendizado interdisciplinar entre os dois componentes.

Como parte do processo de trabalho com o livro, tivemos uma conversa virtual com Elisabeth Loibl, que atualmente reside no Paraná. Ao iniciar o encontro, realizado através do Zoom por conta da pandemia de Covid-19, a escritora lamentou não poder estar presencialmente com os alunos, como fizera em 2019, mas se disse feliz com aquele encontro mesmo que virtual. “Esse contato é das melhores coisas de ser escritora”, afirmou.

Durante duas horas de bate-papo, Elisabeth Loibl contou como foi escrever um livro a partir das memórias de seu irmão mais velho, como foi conhecer os lugares por onde passou sua família durante a 2ª Guerra e sobre a vida deles quando retornaram ao Brasil após o conflito. Além disso, relatou aos alunos sobre como é escrever um livro e sobre o ofício de escritora.

Uma das características literárias mais interessantes da obra de Elisabeth Loibl é a narração do ponto de vista infanto-juvenil, o que gera forte identificação entre os leitores adolescentes e o protagonista na mesma faixa etária. Além de relatar as agruras vividas pela família Loibl durante a 2ª Guerra Mundial, o livro retrata as angústias e o sofrimento de um solitário adolescente brasileiro que, mesmo tendo origem germânica, não era aceito pelos colegas de escola naquela Alemanha marcada por uma exacerbada xenofobia e um violento racismo. Uma experiência bastante dura e que marcará Rodolfo para o resto da vida.

Apesar de todas as dificuldades vividas durante a 2ª Guerra, Elisabeth Loibl relatou que sua família conseguiu se reestabelecer muito bem no Brasil e que, por conta de sua dura vivência, seu irmão Rodolfo particularmente nutrirá um carinho e um agradecimento especial pelo acolhimento sempre recebido em nosso país.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: