Educação em tempos de corona vírus

Colégio Santa Maria

03 de abril de 2020 | 07h00

Um fenômeno surge incontornável para o mundo e também para a educação: há uma pandemia que assola o globo e coloca em isolamento mais de um terço da sua população. Em meio a disputas de narrativas e perspectivas conflitantes quanto a seu enfrentamento, as estudantes e os estudantes do país estão em quarentena.

Essa situação, ímpar na história, propõe questões centrais para a educação. No âmbito metodológico, levou a uma tal suspensão da ordem que obrigou todos os componentes curriculares a serem revistos em suas práticas e habilidades, e impôs o ensino a distância para as instituições que não pararam suas atividades. Algumas perguntas devem ser feitas a este respeito: quais são as escolas que têm condições de implementar, em tão curto tempo, um programa pedagógico a distância? Como fica o alunato que, em casa, não tem acesso à internet, precondição para esta forma de ensino? Em grande medida, esta crise revela mais uma vez como a desigualdade social no Brasil perpassa seus processos educativos, aprofundando a disparidade entre quem terá acesso a um processo pedagógico instigante, desenvolvendo habilidades inéditas e promovendo debates frutíferos sobre esta crise, e quem não terá aulas por inviabilidades técnicas e econômicas.

Fazer educação é também construir chaves para a leitura do mundo. Assim, ler este mundo que parou (desigualmente) é uma tarefa que se impõe para educadoras, educadores e estudantes. Aqui também há uma miríade de boas perguntas, que se constituem como possibilidade singular de processo de construção de conhecimento, diretamente vinculadas à experiência diária de alunas e alunos. Entre tantas, questões geopolíticas como as diversas políticas de enfrentamento da doença e as formas de cooperação internacional que vêm se estabelecendo neste momento; questões éticas, como os critérios que norteiam as políticas públicas e seu impacto sobre a vida das populações e o impacto de políticas pregressas sobre a situação atual; as inúmeras questões da área da biologia, como o impacto do acesso à informação para a conduta da população.

O Colégio Santa Maria vem se propondo a pensar em seus cursos sobre estas questões, propondo uma reflexão sobre esta tragédia que rapidamente se abate sobre o país. É preciso construir a possibilidade de que possamos enfrentar, no futuro, uma situação similar com maior proteção às populações mais vulneráveis e com maior solidariedade; e isto só se dará, entre tantos fatores, com maior conhecimento.

Tudo o que sabemos sobre:

Colégio Santa MariaEAD

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.