Desvendando o passado

Desvendando o passado

Colégio Santa Maria

04 Julho 2016 | 12h28

Autoria: Fernando Henrique Herculiani

O 6º ano impõe uma série de adaptações e desafios para os alunos que acabaram de chegar do Ensino Fundamental I. Os temas de estudo são abordados de maneira mais científica. O que é, por um lado, extremamente empolgante, mas que também pode deixar os alunos desanimados por parecerem assuntos mais maçantes e distantes de sua realidade.

No componente de História esse risco é muito grande, sobretudo porque os temas estudados no ano se relacionam com momentos históricos muito distantes. A investigação sobre a pré-história e um estudo atento e detalhado sobre a Antiguidade podem despertar curiosidade e interesse sobre o tempo dos faraós no Egito, mas também podem parecer desinteressantes por se tratarem de questões políticas e econômicas de sociedades que distam mais de seis mil anos da nossa.

Assim, surge a necessidade de que os alunos do 6º ano pensem e entendam a História como uma ciência dos acontecimentos e pensamentos humanos ao longo do tempo, e não apenas como o estudo do passado. É preciso que os alunos construam um conhecimento que observe nas sociedades do passado as mudanças e permanências dessas culturas hoje.

No 2º bimestre do 6º ano do Colégio Santa Maria, os alunos iniciam uma investigação sobre as primeiras civilizações, buscando entender as características comuns dos primeiros processos de sedentarização do homem. Porém, mais importante do que se perder nos detalhes e especificidades desses povos, os alunos foram convidados a buscar heranças tecnológicas e culturais que se encontram hoje na nossa sociedade. Após o desenvolvimento de diversas atividades sobre os povos mesopotâmicos, os alunos fizeram levantamentos e pesquisas sobre as “Invenções e Descobertas” desses povos.

Os temas levantados foram: Escrita, Matemática, Leis, Cidades, Roda, Exército, Império e Literatura. Divididos em grupos, iniciaram a produção de pôsteres sobre cada um dos temas. Os pôsteres deveriam conter a definição da invenção/descoberta, a utilização desta hoje em dia, a história de origem na Mesopotâmia e uma ilustração produzida pelo grupo.

Os pôsteres foram desenvolvidos em sala e durante a produção os alunos descobriram diversas relações existentes entre os povos da mesopotâmia e a sua vida hoje. Temas presentes diariamente como a divisão das horas em 60 minutos, que parece algo natural à existência humana, é na verdade fruto do sistema sexagesimal desenvolvido pelos sumérios por volta do ano de 2000 a.C.; ou então, o desenvolvimento das cidades hoje e o surgimento das cidades de Ur e Uruk (primeiras cidades do mundo); ou ainda a relação da constituição brasileira com o Código de Hamurábi, criado pelo rei dos amoritas por volta de 1770 a.C.

Trabalhando em grupo, os alunos conseguiram visualizar diversas permanências culturais de povos que até então eram distantes e desconhecidos. Essas relações foram por eles construídas através de diferentes linguagens, visto que os pôsteres deveriam conter resumos, infográficos e ilustrações.

Mais do que uma avaliação para o professor e um registro para o aluno, os pôsteres foram utilizados para compor um painel em sala: “Invenções e Descobertas”.  Esse painel ficará exposto ao longo do ano porque, ao iniciar os temas dos próximos bimestres, os alunos verão que essas “Invenções e Descobertas” mesopotâmicas continuaram se transformando pelos reinos africanos, pela Grécia, por Roma, e caminharam pela História até chegarem ao presente.

0407_DSC05623 0407_DSC05626 0407_DSC05627