De olho no dinheiro

De olho no dinheiro

Colégio Santa Maria

06 Julho 2015 | 07h00

Projeto do 6º ano estuda orçamento familiar que aprofunda conceitos matemáticos e desperta consciência sobre consumo

No mundo de hoje, com o bombardeio da mídia, as informações ao alcance das crianças, a realidade é que elas querem comprar tudo o que veem pela frente, nunca estão satisfeitas com o que têm e acreditam que os pais são responsáveis pela realização de todos os seus desejos. Diante dessa realidade, o projeto Orçamento Familiar do 6º ano do Fundamental II do Santa Maria objetiva, ao longo de dois bimestres, proporcionar aos alunos a oportunidade de vivenciarem os reais custos e o controle de gastos de uma família, com atividades que envolvam o seu cotidiano.

0607_DSC05161 0607_DSC05163

O projeto permite aos alunos significarem alguns conceitos matemáticos na prática (operações com decimais, cálculo de porcentagens, construção de gráficos e uso da calculadora), fazerem uso de recursos tecnológicos no laboratório de informática e realizarem análises e inferências na leitura dos gráficos por eles construídos com os dados coletados em cada etapa do projeto.

Os alunos foram divididos em quartetos e elaboraram o perfil de uma família fictícia com uma renda salarial preestabelecida. A partir de pesquisas realizadas em bolsa de salários (sites, jornais e revistas), supermercados, classificados, folhetos publicitários e entrevistas com pessoas de rendas próximas às da família fictícia, os gastos foram sendo traçados.

É quase unânime a importância da Educação Financeira para jovens e crianças tornarem-se adultos que fazem bom uso do dinheiro, gastando menos com juros e, portanto, consumindo com mais qualidade. “Finança não é, simplesmente, o mesmo que fazer contas e controlar gastos. É preciso debater com as crianças assuntos como qualidade de consumo, necessidade, vontade e projetos de longo prazo”, reforça o professor Luis Carlos de Carvalho. “Aprender por curiosidade e não por compromisso é um meio interessante de disseminar o assunto e formar uma cultura”, completa.

Este projeto visa também contribuir para que os alunos tenham uma visão realista do mundo, como a existência de diferentes classes sociais, custos envolvidos na manutenção de uma vida familiar e, trabalhando com a prática do controle e a organização de gastos, possam com a organização pessoal conscientizar-se para que desejos de consumo não extrapolem limites, ampliando suas possibilidades e suas chances de autorrealização, autonomia e equilíbrio, liberdade de escolhas, solidariedade e felicidade.