Criando jogos em casa

Criando jogos em casa

Colégio Santa Maria

16 de junho de 2020 | 08h46

Autoria – Arthur Consiglio Campelo

Está difícil se movimentar em casa durante a quarentena? O 6o ano do Colégio Santa Maria mostra que é possível. No início da quarentena, os alunos estavam muito preocupados sobre como seriam as aulas de Educação Física, pois não queriam de forma alguma parar com as atividades planejadas para o bimestre. Assim, seguindo o cronograma, eles puderam estudar remotamente dois esportes: o Futsal, conhecido do grande público, e o Tchoukball, esporte que ganha espaço nos colégios em São Paulo, mas que podemos dizer, já faz parte do cotidiano do Santa Maria.

A dinâmica se desenvolveu intercalando aulas expositivas com debates entre os alunos, e videoaulas com ideias de adaptações destes esportes para serem feitos em casa. Os alunos assistiram a vídeos, fizeram atividades interativas como “quiz” e tiraram dúvidas durante as aulas “live” pelo computador. As atividades foram planejadas para serem feitas tanto individualmente quanto em grupo, para poder incluir as famílias que vivem o isolamento social junto às crianças.

Ao final de cada esporte, os alunos deviam criar seus jogos em casa e enviar vídeos com as habilidades que aprenderam no Futsal e no Tchoukball. Surgiram trabalhos magníficos, mostrando que é possível se movimentar em apartamentos pequenos ou grandes, salas, quartos, e até mesmo criar jogos em grande escala, já que algumas famílias conseguiram fugir para suas casas de campo e praia.

O desafio foi entender que, para criar um jogo, basta pensar no objetivo, nas regras e no material que se tem em casa. Assim, como num passe de mágica, surgiram jogos como o “futliche”, “cabeçabol” e “Tchoukvôlei”.

Realmente não é fácil ficar em casa por muito tempo, mas os alunos mostraram autonomia e capacidade para criar e se movimentar, conseguindo se divertir e aprender em casa a partir das aulas de Educação Física.

Tudo o que sabemos sobre:

Colégio Santa Maria

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: