Construção da identidade adulta: um projeto para a vida

Construção da identidade adulta: um projeto para a vida

COLÉGIO SANTA MARIA

02 Fevereiro 2018 | 07h30

Autoria: Maria Soledad Más Gandini

 

A escolha da profissão é um momento de vida muito importante para os jovens – um momento de definição de estilo de vida, interesses, valores e expectativas em relação ao futuro. Para muitos é uma fase de muitas dúvidas e inseguranças.

O mundo do trabalho é dinâmico. Caracterizado pela instabilidade e por inovações constantes, oferece uma multiplicidade de opções que torna esse momento de escolha cada vez mais complexo.

A escolha profissional envolve a conciliação de gostos, interesses e habilidades com as características e demandas de uma profissão. Por isso, requer informação e muita reflexão. Escolher uma profissão implica definir, dentre uma série de possibilidades, a opção que parece ser melhor num certo momento, ainda que ao longo de sua trajetória profissional, o indivíduo possa passar por vários momentos nos quais poderá fazer novas escolhas. Além disso, para os jovens, implica aprender a diferenciar aquilo que se quer daquilo que os outros esperam ou desejam para eles, principalmente suas famílias. Exige, portanto, a ponderação dos diversos aspectos que influenciam a escolha.

Partindo do pressuposto de que não existe a profissão ideal ou “certa”, que precisa ser “descoberta” como se estivesse escondida em algum lugar dentro de nós, o trabalho de orientação profissional realizado na 2ª série do Ensino Médio do Santa Maria propõe-se a contribuir para a identificação de potencialidades e para a ampliação do repertório pessoal dos estudantes a fim de que possam fazer escolhas mais conscientes com relação à carreira que querem seguir, desmistificando profissões idealizadas, ampliando o leque de possibilidades e buscando amenizar as angústias.

A proposta recorre a diferentes exercícios de autoconhecimento e conhecimento da realidade do mundo do trabalho para que possam construir seu projeto profissional de modo consciente, levando em consideração seus desejos, interesses e aptidões.

O projeto é desenvolvido no período de aulas e consiste de duas fases:

Autoconhecimento e projeto de vida: atividades que permitem o resgate dos interesses, habilidades e trajetória de vida, além de possibilitar uma reflexão sobre como percepções, influências e circunstâncias podem interferir nas metas e escolhas.

  1. Levantamento das demandas dos estudantes a respeito da escolha profissional e das informações que detêm sobre o mundo do trabalho.
  2. História de vida: transformação de sonhos e expectativas desde a infância.
  3. Projeto de vida: expectativas de futuro (estilo de vida desejado, o que gostaria de conquistar, lugar que a profissão ocupará na vida, etc).
  4. Influências e critérios de escolha: reflexão sobre as diferentes influências e figuras de identificação que repercutem na escolha profissional.

Conhecimento das profissões e do mercado de trabalho: ampliação do repertório de informações acerca do mundo do trabalho e das competências profissionais envolvidas, por meio de rodas de conversa. Nestes encontros, os estudantes estabelecem o diálogo com profissionais de diferentes áreas de atuação a partir de questões previamente definidas:

– como se deu seu processo de escolha

– como foi a trajetória profissional

– como é o trabalho desenvolvido no que se refere às atividades do cotidiano, competências necessárias, desafios, dificuldades e possibilidades.

Realizadas no período noturno ou aos sábados, as rodas com profissionais das áreas da Saúde, Comunicação, Artes, Engenharias, Tecnologia, Humanidades e Gestão de Negócios realizadas em 2017 acrescentaram relevantes informações e desencadearam valiosas reflexões. Considerando que todo ser humano é movido por uma imagem de futuro que constrói para si, os profissionais convidados deixaram claro que a questão central é como cada um quer se colocar e contribuir no mundo em que vive. Em outras palavras, o desafio é olhar a questão da escolha profissional por outro ângulo: ao invés de pensar apenas em como o trabalho vai satisfazer as necessidades individuais, é pensar sobre como o trabalho pode ser útil para os outros, qual seria a contribuição que poderia dar para a sociedade. Pensando por este viés, os jovens percebem que exercer uma atividade profissional nos conecta com o mundo, e o trabalho adquire sentido na medida em que articula necessidades nossas e do mundo ao mesmo tempo.

Espera-se que na 3ª série aconteça a etapa final desse delicado processo, com o fortalecimento das opções e a escolha propriamente dita. Nesse momento, os alunos estarão prontos para a análise das profissões cogitadas, levando em conta o cenário de oportunidades, os campos de atuação, os aspectos positivos e negativos inerentes a qualquer escolha. De qualquer forma, a relação com o trabalho irá sendo construída com o tempo e com a experiência, com erros e acertos. Só assim poderão estabelecer os parâmetros a partir dos quais será possível identificar o que é um trabalho relevante, o que fazem de melhor e por onde desejam caminhar para aprimorar sua contribuição para o mundo em que vivemos.