Como se aprende a estudar?

Como se aprende a estudar?

COLÉGIO SANTA MARIA

18 Maio 2016 | 15h30

Autoria: Samanta C. Ishikawa Perdigão

Aprender a estudar é essencial para desenvolver a autonomia, a organização, a habilidade de investigação e para buscar novos conhecimentos, acima de tudo!

As crianças, em geral, acham que estudar é monótono e não conseguem fixar a atenção pelo tempo necessário, distraindo-se quando não há um adulto que a monitore. Na verdade, o fato de não saber estudar torna tudo mais difícil e complicado.

A família desempenha um papel essencial na valorização que as crianças atribuem à escola e ao estudo, bem como às lições de casa. O hábito de ler, consultar referências, estudar para alguma apresentação, mostra aos filhos a importância de se estar sempre atualizado, informado e em busca de novos conhecimentos para aprimorar-se.

Dessa forma, a escola e a família constituem redes que se complementam e podem  gerar situações de fracasso ou sucesso escolar.

Como ajudar na lição de casa?

Esta é uma questão frequente das famílias, principalmente no período de alfabetização, em que as crianças ensaiam suas primeiras escritas e, inseguras, pedem ajuda.

Há três tipos de lição de casa, e cada uma demanda um tipo de auxílio:

  1. Lição que sistematiza conhecimentos (a mais comum) 

1805imagem1

 

Este tipo de lição exige a memória do aluno. O que foi ensinado em sala de aula será exercitado. O aluno pode fazer sozinho, pois tudo já foi ensinado. Precisará se organizar, separar o material necessário e pode cumprir a tarefa sem ajuda.

  1. Lição preparatória (introduz um novo tema)

1805imagem2

Exige a participação de um adulto para selecionar os materiais, ler em conjunto com a criança, discutir as informações que serão registradas e como poderá ser explicada em sala (o assunto principal).

Neste caso, é preciso dimensionar os materiais que trazem informações que o aluno será capaz de compreender e memorizar. Enciclopédias infantis, sites de pesquisa, livros informativos com linguagem acessível.

Durante a leitura, o adulto faz perguntas à criança para saber o que está compreendendo, ressalta aspectos que considera mais significativos e discute o porquê, retoma tudo ao final da leitura e pede um registro para que ela lembre-se do que irá relatar em sala para os colegas.

  1. Lição de aprofundamento (feita livremente pelo estudante)

 

1805imagem3 1805imagem4

 

Orientações gerais

  1. Formar uma rotina de estudo: Juntos definam quais serão as regras para a realização do estudo, pois a rotina é fundamental. Combinem, por exemplo, o local e os horários para cada dia da semana adequando a outras atividades que a criança realiza. O ideal é não modificar a rotina estabelecida mas, caso haja necessidade, vez ou outra, é possível, desde que conversem e fique claro para a criança o motivo da alteração.
  2. Cuidar do local de estudo: Escolham o local onde a lição será feita e garantam que ele esteja limpo e arrumado na hora combinada para realização do estudo. Importante verificar se há iluminação adequada e temperatura agradável.
  3. Eliminar os “distratores”: Nenhum aparelho que emita som deve estar ligado e outros sons, que atrapalhem a concentração, devem ser evitados. É importante que quem estiver em casa saiba que é hora de estudar e todos devem colaborar.
  4. Como ajudar? Em caso de dúvida, a criança pode perguntar e o adulto deve se mostrar disponível para ajudá-la. O segredo é ajudar sem oferecer respostas.
  5. Incentivo ao aprendizado: É interessante que os adultos compartilharem conhecimentos com as crianças.
  6. Ocupe-se com atividades parecidas (quando possível): Ressaltamos a importância de aprender determinado conteúdo e sua função quando o valorizamos.
  7. Incentive a revisão da lição ou o estudo independente: Olhar a atividade da criança depois de concluída é uma prática importante para ajudá-la aprender a estudar. Não aponte erros diretamente, caso encontre: faça perguntas para que ela pense e corrija.
  8. Reforço positivo: É fundamental que o estudante se sinta apoiado e valorizado, por isso, precisa ter a família como um apoio, uma força, uma motivação!
  9. Ser modelo: Há comprovações científicas sobre a grande importância dos modelos em nossas vidas. Muitas vezes, os pais explicam comportamentos que querem que o filho tenha, mas, na verdade, ele aprende mais é por imitação (observando os comportamentos que expressam…). Somos seres sociais, de cultura, aprendemos com o meio em que vivemos, com as trocas, uns com os outros. Uma família leitora ensina o filho a ser leitor sem precisar ficar falando, por exemplo, que ler é importante, pois essa atividade é valorizada dentro da sua casa, é apreciada pela família, os portadores de texto fazem parte do cotidiano familiar, essa criança convive com eles. E isso vale para as mais variadas e diferentes habilidades.
1905

Professora Samanta em reunião de pais

Mais conteúdo sobre:

Colégio Santa Mariaestudarfamília