Chaveiro de palavras

Chaveiro de palavras

COLÉGIO SANTA MARIA

23 Maio 2018 | 07h30

Autoria: Orgides Maria da Silva Neta e Maria Beatriz Brito Rossetti

 

“A leitura não é importante porque diverte e nem porque transmite informações, e sim por algo que é transcendental, porque a inteligência humana é uma inteligência linguística. É graças às linguagens que podemos nos desenvolver, compreender o mundo, inventar grandes casas, conviver, compreender nossos sentimentos, resolver nossos problemas, fazer paz (…). Para que nossa inteligência seja viva, flexível, perspicaz, divertida, racional, convincente, necessitamos em primeiro lugar, saber muitas palavras.” – José Antônio Marina – Madrid

 

As letras estão presentes em muitos lugares: em casa, nas placas da rua, nos teclados dos computadores, tabletes, televisão, livros, painéis publicitários. Neste sentido, a alfabetização é um processo que se inicia na primeira infância, mas começa muito antes da entrada das crianças na escola: quando presenciam diferentes atos de leitura e escrita por parte de seus familiares, professores e leitores que a cercam. A partir dessas experiências elaboram as primeiras hipóteses sobre a escrita e a descobrir o prazer em ler e escrever.

Na Educação Infantil do Colégio Santa Maria, as crianças recebem informações sobre a escrita quando brincam com a sonoridade das letras, reconhecem semelhanças e diferenças entre as palavras, manuseiam as letras móveis, usufruem de diferentes materiais escritos como revistas, gibis, livros, receitas, cartazes etc.

Vivendo em um ambiente letrado, de repente acontece uma grande descoberta, um “click”, e a criança que só reconhecia as letras do alfabeto tempos atrás, passa a unir sílabas, decodificar as palavras e a leitura, como um passe de mágica, acontece!

Para isso, tão importante quanto conhecer o funcionamento do sistema de escrita, é possibilitar que as crianças se engajem em práticas sociais letradas. Mais do que apresentar para os alunos as letras e sua relação com os sons, as palavras e as frases, é necessário trabalhar com contextos reais que estimulem de forma significativa à leitura e a escrita.

Um projeto do Pré chamado “Chaveiro de Palavras” tem nos revelado a potência das crianças em narrar e significar diferentes palavras. Cada criança possui o seu próprio chaveiro em que cada página apresenta uma letra do alfabeto, totalizando as 26 letras.

Nas atividades propostas com ele, a criança escolhe uma letra que compõe o alfabeto, escreve uma palavra com a ajuda de um adulto e posteriormente ilustra a palavra escolhida, como mostra a foto abaixo.

Em seguida ela pensa no significado da palavra escolhida, suas relações, intenções, comunicações, informações e letras que a compõem.

 

Observando as aulas e momentos de socialização das palavras escolhidas, foi possível perceber tais relações.

Beatriz Proença com cinco anos narra que escolheu a palavra RAFAEL: “Este é o nome do meu irmão, a gente brinca todos os dias juntos, às vezes ele escolhe a brincadeira e às vezes eu”.

Sophia Moraes cinco anos: “Eu escolhi a letra S, porque eu gosto muito de salada. Todos os dias a primeira coisa que como no jantar é a salada. Alface, tomate e pepino”.

Matheus Ianicelli cinco anos: “A minha letra é a F. Com essa letra dá para escrever futebol, que é um esporte que gosto muito. Eu já jogo em uma escolinha de futebol”.

Acreditamos que nesta relação as crianças apropriam-se do sistema alfabético e, mais do que isso, aprofundam saberes sobre seus significados e relações com a vida, com o mundo e com eles mesmos.

Durante nossas rodas de conversas, as crianças de maneira autônoma partilham no mínimo três informações sobre a palavra escolhida:

– Por que você escolheu essa palavra?

– O que essa palavra comunica? Exemplo: Uma comida? Um sentimento? Um objeto?

– Qual a letra inicial da palavra escolhia?

Muitas palavras e saberes serão construídos nessa relação de Letra + Som + Significado.

Enfim, por meio deste projeto, procuramos envolver nossos alunos em atividades que os façam pensar e compreender a escrita. Nessa relação as crianças apropriam-se do sistema alfabético de forma prazerosa e significativa, aprofundam saberes sobre seus significados, fazem relações com o mundo que as cercam e começam a arriscar-se nas primeiras tentativas de leitura e escrita.

As crianças compreendem que a escrita exerce função social, ou seja, comunica nossas ideias, pensamentos, sentimentos, opiniões, e conhecimentos… Descobrimos o mundo e nos comunicamos om ele!

Mais conteúdo sobre:

Colégio Santa Maria