Carta de uma formanda

Carta de uma formanda

COLÉGIO SANTA MARIA

20 Novembro 2015 | 07h00

Em ritual de despedida do Ensino Médio, aluna Júlia Falcone emociona com carta de agradecimento. Leia texto na íntegra:

 

Aos mestres, com carinho!

Parece que foi ontem que eu dei o meu primeiro passo dentro do Ensino Médio, mas a verdade é que hoje estou dando o meu último. Muitas coisas se passaram aqui dentro. Alegrias, tristezas, desafios, soluções, e, acima de tudo, TRANSFORMAÇÕES! Mas antes que eu continue a me estender sobre as experiências pessoais desse momento da minha vida aqui no Santa, vou me interromper, pois o que eu quero agora não é falar de como foi esse processo, mas sim propor uma reflexão sobre os pilares que tornaram e tornam essas vivências possíveis!

Meu desejo era poder me dirigir, um a um, a cada funcionário do colégio e lhe dizer o quão agradecida eu sou pelo trabalho que essa pessoa realiza e que possibilita que alunos como nós tenhamos o crescimento que temos. Mas como o tempo é curto e isso não vai ser possível, vou me dirigir aos que estão aqui!

Desde pequena eu penso nesse momento de partida do colégio. Muitas preocupações vieram à minha cabeça, em relação ao que seria o agora, mas uma em especial sempre me perseguiu (e continua perseguindo): não sei de que forma demonstrar o carinho que sinto por vocês, professores, e ainda não desvendei como retribuir a vocês tudo aquilo que me passaram! Por ora, por favor, fiquem com o meu humilde, mas sincero, obrigada!

A figura do professor é algo que me encanta. O esforço que vocês têm para com a gente é imensurável, seja na sala de aula para nos explicar a matéria ou mesmo nos fazer ficar quietos para ter a chance de entender a matéria, seja fora do colégio, onde vocês preparam as aulas, os materiais e corrigem os nossos trabalhos e provas. Mas o que mais me encanta é o poder que vocês têm, somado a esse esforço, de ampliar horizontes, mostrar novos caminhos, pontos de vista, visões de mundo, e de nos construir como indivíduos, cidadãos e humanos!

Vocês me inspiram todos os dias! Todos os dias meu sonho de me tornar como vocês é alimentado e acredito estar falando, agora, não só por mim, mas por alguns outros alunos que também desejam tornar-se o mesmo!

Antes que eu encerre, tenho mais algumas palavras, mas estas eu gostaria de dirigir aos alunos, e para começar, vou resgatar o projeto de série do meu primeiro ano.

O QUE TE QUEBRA? Essa foi a pergunta que os professores lançaram para a minha turma responder e o projeto ter início. Em 2013 a minha resposta foi uma, mas hoje ela é diferente. O que me quebra hoje, é conseguir perceber o quanto eu cresci nesses últimos 3 anos, quantas oportunidades essa instituição me ofereceu para que o meu processo construtivo se intensificasse, quanto professores como os que eu tenho hoje me transformaram e o quanto essa realidade em que vivemos e que acabo de descrever é saboreada por tão poucos dentro da nossa sociedade!

Me quebra ter ciência de que a maioria da população do país e quiçá do mundo não pode chegar ao final do seu terceiro ano do ensino médio, ou mesmo cursar uma escola até tão longe sem antes ter que abandoná-la, e não ter tido acesso a tantas oportunidades como eu tive.

Me quebra ver as lutas dos professores por uma melhor qualidade de ensino ser menosprezada e tratada como barbárie, preguiça e perda de tempo, como veicula a mídia, ou mesmo ver uma luta contra o próprio governador do estado para que escolas não sejam fechadas.

E me quebra ver pessoas que fazem parte do pequeno grupo social que detém as oportunidades jogá-las fora, como se fosse algo supérfluo.

Então, alunos que aqui estão, peço que prestem mais atenção, a partir de hoje, na realidade de vocês. Que ao invés de encarar o colégio como uma obrigação encarem-no como um instrumento de auxílio para a construção de vocês mesmos. Ao invés de escutar intolerantemente o discurso de um professor com o qual você não concorde, encare como um outro modo de ver o mundo! APROVEITEM TUDO E ENXERGUEM NO OUTRO UMA EXTENSÃO DO SEU EU!

Bom… Enfim, para a alegria ou tristeza e uns, vou me encerrando!

Adriano, Anibal, Malu, Mayra, Marcos Apollo, Talita, Henrique, Sandra, Adão, Mary, Teacher Mauricio, Karin, Marcos, Valéria, Zapata, André, Ed, Mauricio, Adriana, Claudia, Darci, Sonia, Wagão, Rafa, Zeca, Ritinha, Beth, Adriana, Roberta, Sol, Silvio, professores que não estão mais aqui (Caio, Jane e Bernardo), professores que não me deram aula, mas têm o meu carinho mesmo assim, Thiago e Helika e, CLARO, Luizão, Medina, Will e Regina, não tenho palavras para dizer o quão importantes vocês são para mim! Vocês são parte da vida de cada aluno dessa sala e de muitos outros que por aqui já passaram! Vocês são responsáveis pela transformação de centenas de jovens a cada ano, assim como de nossa autoconstrução!! Assim, deixo, pela última vez, o meu sincero e eterno OBRIGADA!!

2011_Terceiro_2015

Mais conteúdo sobre:

Colégio Santa MariaEnsino Médio