Bicicletas, motocas e patinetes: desafios motores e o brincar na escola

Bicicletas, motocas e patinetes: desafios motores e o brincar na escola

COLÉGIO SANTA MARIA

27 de fevereiro de 2019 | 07h30

Autoria: Fernanda Lugatto e Gisele Coli

O movimento é a primeira manifestação na vida do ser humano, pois desde o útero materno movimentamos o nosso corpo. Corpo que, ao longo da vida, experimenta, explora, sente, cria, elabora e descobre novas possibilidades, novos limites… Corpo que enfrenta desafios e relaciona-se com o outro. Corpo que fala, brinca e aprende, expressando-se com gestos ricos de sentidos, significados e intencionalidades.

E é com o objetivo de desenvolver integralmente este corpo que na Educação Infantil do Santa Maria proporcionamos às nossas crianças o maior número de experiências possíveis envolvendo o movimento, seja com brincadeiras e danças de roda, nos parques, no bosque, nas quadras e no campo gramado.

E por que não, andando de bicicleta ou patinete? Ao conduzir o triciclo ou a bicicleta com rodinhas, a criança desfruta de uma gostosa sensação de independência, mantém o corpo em movimento, desenvolve a coordenação motora e o equilíbrio.

E não são apenas benefícios físicos que a atividade promove. “Pedalar estimula a atenção, a disciplina, a concentração e integra amigos”.

Para a criança, brinca também envolve o corpo estar em confronto com a natureza, com o risco e com o imprevisível, com a aventura. E andar de bicicleta traz esta prazerosa sensação.

Como pais e professores, precisamos “cuidar” do brincar das nossas crianças. Embora, o brincar já seja um direito da criança, a nova BNCC (Base Nacional Comum Curricular) valida o brincar como um importante direito de aprendizagem.

Em casa ou na escola, as crianças necessitam de tempo para brincar. Brincadeiras mais estruturadas com brinquedos e intencionalidades, mas também um brincar livre, em que possa criar, imaginar e viver a infância, na sua forma mais genuína.

Cuidar do brincar também requer, cuidar do que ofertamos às crianças nestes momentos e, se não restam dúvidas que o corpo em movimento é o melhor que podemos oferecer, as brincadeiras que envolvem o uso de dispositivos tecnológicos como tablets, celulares e videogames geram questionamentos quanto a prejuízos ao desenvolvimento na primeira infância.

Mas isto é uma outra conversa…