Aulas ao quadrado

Aulas ao quadrado

COLÉGIO SANTA MARIA

17 de setembro de 2020 | 07h30

Autoria – Veronice Leal

 

Novos tempos, diferentes aulas, um jeito singular de adquirir conhecimentos, aprender e interagir em um contexto desafiador e atípico como o atual. Dentro desse cenário, temos alunos do 5º ano com suas características individuais, que, embora diferentes, têm em comum a ansiedade, o desejo de estar juntos, a alegria da hora do recreio e das aulas em que movimentam o corpo, ouvem e leem histórias fantásticas, que os transportam a mundos distintos. E, agora, como manter a chama da motivação acesa e garantir a presença diária em uma plataforma imersa em vários recursos, porém, embora lado a lado, cada um no seu quadrado?…

 

Não é simples, é desafiador! Como todo educador é atraído por uma oportunidade instigante para conquistar seus alunos, o 5º ano do Colégio Santa Maria busca aproximar diariamente o cotidiano das aulas presenciais para as aulas remotas. Como? Usando a criatividade e os recursos tecnológicos!

 

O contato e o convívio humano são condições essenciais para o desenvolvimento de um grande número de habilidades: relatar uma experiência, descrever um personagem, recontar uma história, analisar e interpretar um texto expositivo, calcular, identificar as operações necessárias para solucionar uma situação-problema, enfim… a partir de situações propostas pelos professores, os alunos são instigados a passar por essas experiências, entretanto, como fazê-las em aulas on-line de modo que os estudantes sintam-se motivados?…

 

O trabalho em grupo nas aulas on-line veio como um facilitador desse processo.  Quando foi apresentado a eles essa possibilidade, os olhos brilharam novamente, como se, de repente, tivessem sido transportados a uma situação vivida há muito tempo!

A organização da realização das atividades em grupo, no 5º ano, proporciona o encontro, mesmo sendo virtual, que ajuda a despertar novos/outros conhecimentos, formas de pensamento e atitudes; além disso, auxilia a compreensão de que a construção coletiva pode  potencializar as formas de aprender e trocar ideias sobre os diversos conhecimentos.

 

Ao iniciar as lives, os alunos questionam: “Hoje teremos trabalho em grupo?” Assim, eles são divididos em 3 ou 4 componentes por grupo. Compartilham a tela com seus pares e discutem, questionam, planejam soluções para as propostas dadas em cada componente. Depois de um tempo determinado pela professora, voltam ao conjunto da sala virtual, trocam ideias e partilham o resultado, seja da produção de texto ou da resolução dos problemas.

 

Esse novo olhar para a formatação das aulas remotas trouxe para os alunos do 5º ano em Matemática, Língua Portuguesa, Ciências Humanas e Ciências da Natureza o “sabor” de um tempo que favorecia o contato com a diversidade e que não pode ser deixado de lado. Afinal, entender que as singularidades devem ser respeitadas, ensinar que a cooperação é essencial na escola e fora dela são aprendizagens que potencializam a vida social e, portanto, não podem ficar esquecidas no ensino on-line, assim como não eram nas aulas presenciais.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: