As hipóteses de escrita e as habilidades de consciência fonológica

As hipóteses de escrita e as habilidades de consciência fonológica

Colégio Santa Maria

10 Novembro 2015 | 08h32

 

Curso do Prisma, centro de estudos do Santa Maria, aprofunda conhecimentos sobre práticas de alfabetização

1011_Fotos JOGOS_Prisma

As possibilidades de diálogo entre a psicogênese e a neurociência para a construção de práticas de alfabetização mais efetivas parecem fugidias excludentes ou apenas sobrepostas. Desenvolver reflexões e práticas de alfabetização que considerem as importantes áreas de pesquisa foi o foco do curso de extensão promovido pelo PRISMA, Centro de Estudos do Colégio Santa Maria.

O módulo “As hipóteses de escrita e as habilidades de consciência fonológica” encerrou o curso, que reuniu professoras iniciantes e experientes na Educação Infantil e no 1º ano do Ensino Fundamental, bem como coordenadoras pedagógicas de importantes instituições de ensino da capital.

Tomando a produção científica recente sobre alfabetização como base e como guia, o grupo problematizou as práticas de ensino do sistema de escrita alfabética e produziu jogos de tabuleiro e de cartas. Eles têm como objetivo auxiliar as crianças a se apropriarem das regras de funcionamento do sistema de escrita alfabética, sobretudo em relação à fonetização da escrita, tendo em vista que as dúvidas das crianças costumam girar em torno de quantas e quais letras utilizar para escrever.

De forma colaborativa e cooperativa, os grupos construíram jogos inovadores, acompanhados de instruções aos professores e aos estudantes, que incentivarão novas práticas no cotidiano das salas de aula. Nos próximos módulos serão analisados os planejamentos das rotinas em classes de alfabetização e a construção de ambientes alfabetizadores. “E nossa turma segue, animada e aguerrida”, de acordo com o professor Rodnei Pereira, facilitador deste curso.