As aprendizagens contidas nas celebrações

As aprendizagens contidas nas celebrações

Colégio Santa Maria

15 Julho 2015 | 07h00

 As celebrações e festividades podem ser uma ótima oportunidade para as crianças fazerem novas descobertas, conhecerem e vivenciarem o significado real das comemorações; crianças do Jardim II celebram essência das festas juninas

 

Festas juninas remetem a fogueira, bandeirinhas, danças, comidas típicas, trajes caipiras… Mas há muito mais que isso nessa festa tipicamente brasileira!

A comemoração junina tal qual conhecemos atualmente tem sua origem no Egito Antigo. Conhecida como Festa da Colheita, tinha como principal objetivo celebrar o início da colheita, cultuando os deuses do sol e da fertilidade. A concepção dessa comemoração continuou até a Idade Média, sendo comemorada no dia 25 de dezembro e celebrava o solstício de verão (a fertilidade da terra e as boas colheitas).

 

Com o domínio da Igreja Católica, a Festa da Colheita foi cristianizada e rebatizada com o nome de Festa de São João, passando-se então a festejar a imagem de São João Batista. Durante os festejos de São João (24 de junho), são celebradas também as figuras de Santo Antonio (13 de junho) e São Pedro (29 de junho). Mas a ideia de celebrar a boa colheita permaneceu, como referência à figura do trabalhador do campo.

Pensando nessa simbologia cheia de significado e também na necessidade que as crianças pequenas têm de vivenciar experiências com sentido, para assim transformá-las em aprendizagens, na semana que antecede a Festa Junina do Santa Maria, as crianças da Educação Infantil celebraram a boa colheita.

???????????????????????

???????????????????????

“Nesse momento paramos para agradecer. Agradecer pela vida, por nossa família, pelo alimento, pelo nosso lar, pelos amigos e pelos bons sentimentos em nosso coração”, lembra a professora do Jardim II, Fernanda S. Lugatto. “São nesses momentos que as crianças, mesmo pequenas, têm a oportunidade de aproximar-se da figura de Deus e compreender que a oração é uma forma de nos aproximarmos do Pai”.